14
set

Toledo é o Brasil em Trestles

14 / set
Publicado por Alexandre Gondim às 23:23

 

Adriano de Souza. Foto: @WSL / Sean Rowland

O campeão mundial Adriano de Souza não conseguiu passar pelo australiano Adrian Buchan no Hurley Pro at Trestles e perdeu a chance de ir para as que semi finais, deixando a responsabilidade de representar os Brasilians Storms para Felipe Toledo que na última bateria das quartas enfrentará o americano Canoa Igarashi. Os dois treinam em Trestles, local do evento, e quem sair vitorioso dessa bateria terá o favoritismo e a maioria das apostas a seu favor, para vencer na Califórnia.

Filipe Toledo. Foto: @WSL / Sean Rowland

Adriano fez um excelente campeonato nas ondas perfeitas de 3-4 pés, que aparentemente não favoreciam seu surfe solido, porém ele estava muito fluído fezendo um surfe de base/lipe perfeito que o levaram bem longe mesmo sem ter o aéreo como manobra forte.

Jadson Andre. Foto: @WSL / Sean Rowland

Entre os brasileiros que competiram, Filipe Toledo e Jadson André venceram os duelos brasileiros da terceira fase e seguiram na disputa do título da etapa norte-americana do World Surf League Championship Tour. Jadson derrotou Gabriel Medina e depois perdeu por pouco para Mineirinho. Filipe ganhou a bateria paulista com Miguel Pupo e segue no jogo.

Minierinho não conseguia passar da terceira fase desde o Rio Pro em Saquarema, sobre isso ele falou: “Fiquei pensando muito que tinha que passar pela terceira fase, Esses últimos eventos foram de grande aprendizado para mim. Eu coloquei mil por cento em tudo, fiz tudo que pude, mas acho que finalmente encontrei o ritmo aqui. Estou feliz por escolher as melhores ondas nessa última bateria, mas fiquei um pouco preocupado com o Jadson, então tentei usar a prioridade com segurança e escolher a onda que eu queria para trocar a menor nota. Estou feliz por passar para as quartas de final”.

Adriano de Souza, Foto: @WSL / Sean Rowland

Embora as condições do mar melhoraram bastante no decorrer da competição, as séries estavam muito espaçadas, com poucas ondas entrando na maioria das baterias e os melhores surfistas do mundo precisaram ter uma boa escolha para pegar as melhores para não desperdiçar as oportunidades e darem seus shows nas esquerdas e direitas de alta performance de São Clemente.

As ondas estavam boas para todos os tipos de manobras de borda e formavam rampas perfeitas para os aéreos, com isso Gabriel Medina era apontado como provável campeão depois de ter feito uma bateria irrepreensível na primeira fase, mas Jadson André conseguiu derrotar pela primeira vez o campeão mundial em baterias eliminatórias no CT. O potiguar destruiu uma direita com uma série impressionante de oito batidas e rasgadas jogando muita água pra cima com a força do seu backside, para ganhar a maior nota da bateria, 8,43. Medina passou então a arriscar os aéreos e chegou a acertar dois em sua melhor onda, nota 7,60. Jadson já tinha um 7,33 da sua primeira onda e seguiu em frente por 15,76 a 14,80 pontos.

“Eu pensei que a primeira onda do Gabriel era 8,5, então quando peguei minha primeira onda eu surfei com muita vontade de tirar uma nota alta também”, disse Jadson André e completou ” Eu quero apenas surfar o meu melhor e eliminar os erros. Eu sinto que estou surfando bem, mas cometendo erros que preciso corrigir para conseguir melhores resultados”.

 

Italo Ferreira. Foto: @WSL / Sean Rowland

Hoje foi um grande dia para Kanoa Igarashi, que lapidou seu surfe quando criança, nas ondas de Trestles . Primeiro ele teve a tarefa difícil de vencer, novamente, Mick Fanning. Afinal, Fanning ganhou o Hurley Pro duas vezes, e é recordista de vitórias em Lower . Na rodada seguinte aumentou o gás durante uma consistente vitória sobre Julian Wilson, que o levaram a enfrentar amanhã, 15/09, Filipe Toledo, para melhorar sua 28º colocação no circuito principal da WSL.

Acompanhem  aqui pelo BLOG DO SURFE…

Veja abaixo a bateria de Adriano de Souza nas quartas de final contra Adrian Buchan ;

 


Veja também