02
maio

Crítica: Verdade ou Desafio, de Jeff Wadlow

02 / maio
Publicado por Ernesto Barros às 21:31

Cena de Verdade ou Desafio. Foto: Universal Pictures.

Esta não é a primeira vez que o jogo Truth or Dare (Verdade ou Desafio) é usado como muleta num filme de terror adolescente. Mas seria bom que fosse a última. Apesar de embalado com o rótulo da produtora Blumhouse (a mesma de Corra!, da série de The Purge e inúmeros filmes do gênero), Verdade ou Desafio, de Jeff Wadlow, que estreia nesta quinta-feira (3/5), é uma grande decepção.

A falta de originalidade do argumento nem deve ser questionada. Afinal, usar a estrutura do jogo Verdade ou Desafio, muito querido por crianças e adolescentes americanas, não traz novidades ao gênero. Desde a série Pânico que as mortes sucessivas de personagens adolescentes virou uma rotina. Apesar de todos os clichês, os quatro roteiristas do filme, incluindo o diretor Jeff Wadlow, trazem um fiapinho de novidade ao colocar o jogo como uma maldição.

Tudo começa quanto sete amigos de uma universidade vão passar as férias de primavera (spring break) numa cidadezinha mexicana. As amigas inseparáveis Olivia (Lucy Hale) e Markie (Violette Beane) chegam a um acordo e vão com mais cinco colegas, entre eles Lucas (Tyler Posey), namorado de Markie, encher a cara durante uma semana. Numa noite, Lucy recebe o convite de Carter (Landon Liboiron) para visitar um lugar misterioso, mesmo que os amigos não pareçam muito animados.

Sem nada para fazer no lugar, eles topam participar de um Verdade ou Desafio ingênuo, mas que terá consequências desastrosas. O fato de o jogo virar uma alucinação para os participantes, quando voltam para casa, até que sustenta a atenção. Mas a mecânica repetida, os diálogos sofríveis e um final indescritível fazem de Verdade ou Desafio uma experiência das mais espinhosas.

Nem o elenco, formado por jovens atores com experiência em longas e séries, consegue se destacar. Também, seria quase impossível. O máximo que eles fazem é repetir uma careta que, mais do que assustar, provoca risos na plateia.


Veja também