20
nov

Promessa de rota ciclável com 5,5 km ligando o Recife a Olinda

20 / nov
Publicado por Roberta Soares às 17:02

Vias locais da Avenida Agamenon Magalhães ganharão ciclofaixa. Fotos: Ashley/JC Imagem
Vias locais da Avenida Agamenon Magalhães ganharão ciclofaixa. Fotos: Ashley Melo/JC Imagem

 

 

Lentamente, a bicicleta começa a ganhar espaço na Região Metropolitana do Recife e o Plano Diretor Cicloviário (PDC), pronto há mais de um ano, dá sinais de que vai sair do papel. Na manhã desta sexta-feira (20/11) o governo de Pernambuco apresentou a proposta da rota ciclável metropolitana, ligando o Recife ao município de Igarassu. A proposta é ousada e prevê cerca de 30 quilômetros de ciclofaixas (em sua maioria), ciclorrotas e ciclovias, ao custo de R$ 17 milhões (aí incluído o projeto de requalificação e reurbanização da ciclovia da rodovia PE-15). De concreto, entretanto, com data certa para começar e recursos garantidos, apenas 5,5 quilômetros ligando o Recife a Olinda. A rota começaria no Marco Zero e seguiria até o Centro de Convenções.

Não será exatamente como eu e vocês (cicloativistas) queremos. Mas estamos, de fato, implantando o PDC. Temos feito um esforço tremendo para isso, inclusive”,

Felipe Carreras, secretário de Turismo de PE

 

O traçado inicial desse primeiro trecho, apresentado à imprensa e a cicloativistas do Grande Recife, seria o seguinte: começaria no Marco Zero, seguiria pela Avenida Rio Branco (hoje fechada ao tráfego de veículos motorizados), Praça da República, Ponte Princesa Isabel, Rua da Aurora, Avenida Arthur Lima Cavalcante, Rua Jayme da Fonte (Santo Amaro), até as vias locais leste e oeste da Avenida Agamenon Magalhães, chegando de um lado ao Centro de Convenções e do outro ao Shopping Tacaruna.

“Teremos trechos de ciclovias, de ciclofaixas e de ciclorrotas. Não será exatamente como eu e vocês (cicloativistas) queremos. Mas estamos, de fato, implantando o PDC. Temos feito um esforço tremendo para isso, inclusive. Conseguimos garantir R$ 3,5 milhões para o trecho da rota recifense, via Prodetur/Bid, e pretendemos lançar o edital para a implantação da rota no fim de dezembro. Nossa meta é estar com os 5,5 quilômetros prontos até junho de 2016″, explicou o secretário de Turismo e Esportes de Pernambuco, Felipe Carreras, viabilizador principal do projeto. Foi ele, vale lembrar, quem tirou a gestão do PDC da Secretaria das Cidades para Turismo, como forma de tentar viabilizar o plano, que prevê 590 quilômetros de rota ciclável na Região Metropolitana do Recife.

 

Rua Jayme da Fonte, em Santo Amaro, também está na rota com uma ciclofaixa à direita, onde hoje é liberado o estacionamento
Rua Jayme da Fonte, em Santo Amaro, também está na rota com uma ciclofaixa à direita, onde hoje é liberado o estacionamento

 

A partir daí, o projeto tem continuidade, mas sem orçamento ou prazo certo. Em Olinda, ligaria o Centro de Convenções ao Varadouro, passando por dentro do Espaço Ciência, no Memorial Arcoverde, totalizando 2,35 quilômetros.  A partir daí, seguiria por mais 1,71 quilômetro entre o Varadouro e a PE-15, depois chega a Igarassu pela BR-101. Depois, seguiria pelos 11 quilômetros da PE-15 até a BR-101, contando que o projeto de requalificação da PE-15 seja executado. Mas o traçado desses trechos não estão definidos e ainda precisam de estudos.

Por 15 dias, sugestões e críticas poderão ser repassadas à Secretaria de Turismo pelos cicloativistas convidados para analisar o projeto, entre eles grupos de pedal e a Ameciclo (Associação Metropolitana de Ciclistas). De cara, a proposta gerou inúmeras dúvidas e críticas. O principal questionamento foi o fato de o equipamento ser instalado sobre calçadas, como acontecerá na Rua da Aurora (será sobre o cais), com o risco de haver o corte de árvores, prática cada dia mais comum na cidade. Na Ponte Princesa Isabel, por exemplo, a proposta é que o ciclista desça da bicicleta e percorra o trecho da ponte empurrando a bike sobre a calçada.

Confira no vídeo abaixo a explicação do projeto pelo secretário Felipe Carreras e a avaliação inicial da proposta pela Ameciclo:

 

Confira a íntegra do projeto apresentado


Veja também