05
dez

Empresários defendem subvenção à tarifa do transporte público

05 / dez
Publicado por Roberta Soares às 20:25

 

A tarifa do transporte urbano por ônibus aumentou 260% em 20 anos e, nesse mesmo período, o setor amargou uma redução de 42% no número de passageiros. Eram 60 milhões de pessoas transportadas por dia no Brasil. Hoje são 37 milhões. Ou seja, traduzindo: o setor de transporte está em pânico, precisando de ações e reações que injetem ânimo nas empresas e gestões. Defende a urgência de subsídio pelo poder público para aliviar o peso sobre o passageiro, que, com poucas exceções no País, paga sozinho o custo do sistema. E, agora, também propõe uma nova metodologia para o cálculo da planilha tarifária do sistema.

“Existem vários custos que não são contabilizados na planilha de cálculo. São despesas que são pagas apenas pelas operadoras. É o caso dos ônibus incendiados ou depredados e das demandas trabalhistas, só para citar alguns exemplos”,

Otávio Vieira da Cunha

 

Fotos: Roberta Soares
Fotos: Roberta Soares

 

A proposta foi defendida pelo presidente da Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU), Otávio Vieira da Cunha, no Rio de Janeiro, durante o 17 º Etransport e a 11ª Fetransrio, um dos maiores encontros de transporte nacionais, que o Blog De Olho no Trânsito acompanhou. “Existem vários custos que não são contabilizados na planilha de cálculo. São despesas que são pagas apenas pelas operadoras. É o caso dos ônibus incendiados ou depredados e das demandas trabalhistas, só para citar alguns exemplos”, alerta Otávio Vieira da Cunha.

LEIA MAIS
Cide Municipal: o automóvel financiando a melhoria do transporte público
O transporte público virou direito social previsto na Constituição. E agora, isso muda alguma coisa?
Congelar tarifas de ônibus vai gerar colapso no setor, dizem empresários
Crise também afeta o transporte público por ônibus: 300 mil passageiros deixam de usar o sistema por dia no Brasil

 

 

Um conselho técnico foi criado numa parceria da NTU com a Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) para chegar a essa equação ideal. “A população nos cobra, com razão, um transporte público de qualidade. Mas isso tem um preço. As gestões, os governos precisam entender isso”, acrescenta Otávio Vieira da Cunha.

 

 

 

A necessidade de subvenção à tarifa ganha força nessa época do ano porque nos meses de dezembro e janeiro se discute o reajuste das tarifas do transporte público em todo o País. E os empresários começam um movimento nacional para negociar percentuais e convencer prefeitos e governadores de que o aumento precisa ser dado, apesar da crise e do sentimento de desesperança que tomou conta do País e da economia nacional.

Uma carta alertando sobre a crise do setor e a necessidade de apoio para criar um fundo de transporte foi entregue pela NTU na 70ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), realizada semana passada em Campinas (SP). Para o transporte da Região Metropolitana do Recife, o mês decisivo é janeiro e o reajuste é esperado por todos: com alegria pelo setor empresarial e com tristeza pelo passageiro. Mesmo que ainda esteja atrelado ao IPCA, regra criada ainda na primeira gestão do então governador Eduardo Campos.

 

 

 


Veja também