26
mar

Nova rota de bikes quase pronta no Recife

26 / mar
Publicado por Roberta Soares às 10:08

 

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

 

A primeira etapa do Eixo Cicloviário Camilo Simões, como foi batizada a rota que pretende ligar o Bairro do Recife ao município de Igarassu, na Região Metropolitana, é fato. Virou realidade. Está em plena execução e já demarca no sistema viário da capital que o poder público começou a abrir espaço para a bicicleta. Não há como negar. Não só pela extinção de 42 vagas de Zona Azul no entorno da Praça da República para dar lugar a um trecho da ciclofaixa permanente, mas pela malha ciclável que foi implantada no trecho de cinco quilômetros entre o Marco Zero e a Fábrica Tacaruna, no limite do Recife com Olinda.

LEIA MAIS
Projetos que priorizam a bicicleta sob risco em Pernambuco. Infelizmente!
Sistema BikePE está sucateado. Faltam bicicletas e falhas são cada vez mais frequentes

Os trabalhos estão a pleno vapor e a previsão da Secretaria de Turismo de Pernambuco é que a primeira etapa seja entregue oficialmente à população no dia 2 de abril. No máximo, ainda na primeira quinzena do próximo mês. Mas, independentemente da conclusão da obra e da indefinição de datas, os ciclistas já estão utilizando e aprovando o equipamento. “É muito bom. Fui surpreendido com a ciclofaixa esta semana. Quase nem acreditei que retiraram as vagas dos carros nesse trecho para dar espaço à bicicleta. Espero que não parem. Que mais rotas como essa sejam criadas”, afirmou o vendedor autônomo Carlos Henrique Serafim, entrevistado quando circulava na ciclofaixa em frente ao Teatro Santa Isabel.

 

Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem

 

O eixo começa no Marco Zero, segue pela Avenida Rio Branco (que está em obras para virar o primeiro boulevard do Recife), depois pela Rua Madre de Deus, Avenida Marquês de Olinda, Ponte Maurício de Nassau, Avenida Martins de Barros, Praça da República, Ponte Princesa Isabel, Rua da Aurora, Avenida Prefeito Arthur de Lima Cavalcanti, Rua Jayme da Fonte, pista local oeste da Avenida Agamenon Magalhães, até chegar à Fábrica Tacaruna. A maior parte do percurso é de ciclofaixa (quando a segregação do trânsito de carros é feita por pintura e tachões). Nesse caso, a velocidade do tráfego será de 40 km/h.

O uso de ciclovia (quando a separação do tráfego é física e total) é verificado apenas na Rua da Aurora, com o equipamento sobre o Cais da Aurora. Nele, haverá o compartilhamento do espaço com os pedestres. Os únicos trechos em que serão utilizadas ciclorrotas (quando ciclistas e veículos dividem o mesmo espaço) serão sobre as Pontes Maurício de Nassau e Princesa Isabel, segundo explicou o secretário de Turismo de Pernambuco, Felipe Carreras. “No restante teremos ciclofaixas, ciclovia e os trechos do Cais da Aurora e da Avenida Rio Branco, onde haverá o compartilhamento com o pedestre”, diz Carreras. No caso das ciclorrotas, mais uma vez a velocidade dos veículos terá que cair para 40 km/h.

 

 

Para o secretário, a inauguração da primeira etapa do eixo deve ser vista como um marco para a mobilidade ativa da cidade. “O simbolismo é forte. Não só pela quantidade de quilômetros que estamos implantando, mas porque marca a execução do Plano Diretor Cicloviário (PDC) saindo do coração da cidade. Demonstra que o governo está dando prioridade à bicicleta no trânsito, no sistema viário”, afirma.

A primeira etapa do Eixo Cicloviário Camilo Simões virá acompanhada de uma campanha educativa que o Estado lançará para harmonizar a convivência entre motoristas e ciclistas. O projeto terá, quando chegar a Igarassu, 30 quilômetros. Essa primeira etapa custou R$ 2,4 milhões (recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), via Prodetur) e deveria ter saído do papel há pelo menos três anos, quando o PDC foi concluído.

 

arte_cicloviario_web_parte_1arte_cicloviario_web_parte_2


Veja também