14
jul

Conheça as novas bicicletas do projeto Bike PE

14 / jul
Publicado por Roberta Soares às 8:41

 

O Recife será a primeira capital a receber a nova tecnologia para o compartilhamento de bicicletas públicas que está sendo adotada pelo banco Itaú Unibanco nos projetos que o banco patrocina no País. O novo Bike PE – mais moderno, confiável e com bicicletas mais robustas – estará nas ruas para a população a partir de setembro. A reestruturação e modernização do projeto, que agora tem a empresa paulista Tembici. substituindo a pernambucana Serttel, foram apresentadas oficialmente nesta quarta-feira (13/7), numa parceria entre o governo do Estado – gestor do Bike PE –, a Prefeitura do Recife e o Itaú Unibanco.

As bikes serão mais resistentes e confortáveis, terão bancos mais reguláveis, luzes reflexivas, bagageiros integrados e adaptáveis com extensores elásticos para prender objetos. Serão 80 estações com 1.600 vagas e um total de 800 unidades disponíveis. O sistema, que foi importado do Canadá, é consolidado e tem unidades por grandes centros urbanos mundiais, como Nova Iorque (EUA) e Londres (Inglaterra)”,

Maurício Villar, da Tembici.

 

Promessas são de que um novo sistema mais robusto e moderno estará nas ruas a partir de setembro. Fotos: Guga Matos/JC Imagem

LEIA MAIS
Recife terá duas novas rotas de bicicletas: em Jardim São Paulo e Santo Amaro
Novo Bike PE está chegando. Conheça as bicicletas e a nova tecnologia

A promessa é de que o Bike PE ganhará uma roupagem nova e equipamentos sofisticados, garantindo a confiabilidade do sistema, que vem se perdendo há mais de um ano com a redução em 80% da oferta de bicicletas e inúmeras falhas de conectividade. Os envolvidos na operacionalização do projeto garantem que a população não só do Recife, mas de Olinda e de Jaboatão dos Guararapes (onde também existem estações do projeto), encontrarão estações e bicicletas completamente diferentes das já existentes.

 

“As bikes serão mais resistentes e confortáveis, terão bancos mais reguláveis, luzes reflexivas, bagageiros integrados e adaptáveis com extensores elásticos para prender objetos. Serão 80 estações com 1.600 vagas e um total de 800 unidades disponíveis. O sistema, que foi importado do Canadá, é consolidado e tem unidades por grandes centros urbanos mundiais, como Nova Iorque (EUA) e Londres (Inglaterra)”, garantiu Maurício Villar, da Tembici.

 

 

Além do Recife, o mesmo sistema será substituído nas outras cidades em que o Itaú Unibanco comanda o projeto: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Salvador. “Nós corremos muito para conseguir atrair para o Recife esse primeiro investimento. Sabemos que o Bike PE tem sofrido com problemas, mas tudo será diferente a partir de setembro”, prometeu o secretário de Turismo de Pernambuco, Felipe Carreras.

 

 

LEIA MAIS
Com vocês, o novo sistema Bike PE
O exemplo da ciclomobilidade que vem de Fortaleza
Projetos que priorizam a bicicleta sob risco em Pernambuco. Infelizmente
Governo de PE recria Escritório da Bicicleta para dar gás à ciclomobilidade
Nova rota de bikes será entregue neste domingo (23/4). Programe-se para pedalar!

 

Um dos grandes diferenciais do novo Bike PE é a utilização de ‘docks’ ou conexões individuais para abrigar as bicicletas. Cada uma terá o seu próprio compartimento de depósito, ou seja, as estações serão moduladas e não mais uma estrutura única. A liberação das bikes será, dessa forma, individualizada. Essa é também uma forma de reduzir possíveis vandalismos e roubos das bicicletas. Outra mudança é que os usuários terão a oportunidade de utilizar o cartão de crédito e/ou débito diretamente na estação para retirar as bicicletas. Os planos também aumentaram para passes de três dias e anual, além dos já existentes passe mensal e diário. Em cerca de 30 estações do Bike PE haverá totens para cadastro físico.

AMECICLO
Representantes da Associação Metropolitana de Ciclistas (Ameciclo) que participaram do lançamento das novas rotas e do lançamento do novo Bike PE saíram parcialmente satisfeitos. “Não vamos negar que é bom, mas precisamos de mais infraestrutura ciclável e num ritmo maior. Não podemos esquecer que o Bike PE existe há mais de quatro anos e que não avançou na RMR porque a malha não acompanhou o projeto. Dessa vez, esse crescimento precisa acontecer”, afirmou Roderick Jordão, da Ameciclo.

 

 

Enquanto isso … o Bike PE definha sem bicicletas e repleto de problemas. Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem


Veja também