03
jan

Metrô se fecha para inibir invasões na Estação Recife

03 / jan
Publicado por Roberta Soares às 9:00

 

O acesso à Estação Recife do metrô do Recife, no Centro da capital, vai mudar em janeiro. A integração ônibus X metrô será feita apenas com o uso dos cartões VEM, seja Comum, Trabalhador, Estudante ou Livre Acesso. É a chamada integração temporal, quando a troca gratuita entre os transportes é permitida por apenas um período. O passageiro não pagará uma segunda tarifa quando sair das linhas de ônibus que param no Terminal Integrado Recife e quiser entrar no metrô, mas terá duas horas para fazer a integração sem pagar e sempre utilizando o VEM. As mudanças começariam no dia 16/12, mas foram adiadas para este mês (janeiro/2018), com previsão do dia 20, a pedido do governo de Pernambuco.

A situação está fora de controle. Sempre tivemos problemas com invasões, mas eram pontuais e numa quantidade pequena. Agora piorou demais e não podemos permitir que essa situação se prolongue porque, se nada for feito, em pouco tempo as pessoas estarão acostumadas a entrar no metrô sem pagar. Há meses que venho dizendo ao GRCT que ele precisa fazer algo porque o prejuízo tem sido grande. E o controle precisa vir do terminal de ônibus. É por lá que as pessoas estão invadindo”

Leonardo Villar Beltrão, superintendente do metrô Recife

Pouca gente sabe, mas a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), gestora do metrô do Recife, e o Grande Recife Consórcio de Transporte (GRCT), gestor estadual do transporte por ônibus, estão travando uma briga interna por causa da assustadora invasão de passageiros sem pagar na Estação Recife do metrô. E a porta de entrada é o TI Recife, que segundo denunciam funcionários da CBTU, fica sem porteiros em diversos momentos do dia, estimulando as invasões. Desde julho deste ano as irregularidades teriam aumentado substancialmente. Atualmente, a evasão é de 13,03%, segundo levantamento realizado pela CBTU, durante 15 dias, na ligação do TI Recife com a Estação Recife do sistema metroviário. Foram 45.009 invasores flagrados em duas semanas. Isso significa dizer que, por dia, 3 mil passageiros estão entrando na Estação Recife do metrô sem pagar.

 

Acesso do TI Recife para o metrô será apenas com a liberação pelo VEM. O passageiro não pagará outra passagem, mas terá duas horas para fazer a integração. Fotos: Ashlley Melo/JC Imagem

 

“A situação está fora de controle. Sempre tivemos problemas com invasões, mas eram pontuais e numa quantidade pequena. Agora piorou demais e não podemos permitir que essa situação se prolongue porque, se nada for feito, em pouco tempo as pessoas estarão acostumadas a entrar no metrô sem pagar. Há meses que venho dizendo ao GRCT que ele precisa fazer algo porque o prejuízo tem sido grande. E o controle precisa vir do terminal de ônibus. É por lá que as pessoas estão invadindo”, critica o superintendente do metrô do Recife, Leonardo Villar Beltrão. A reportagem, por exemplo, fez flagrantes de invasões pelo TI Recife sem dificuldades. A maioria eram ambulantes.

Inicialmente, a instalação de validadores nos bloqueios que conectam o TI Recife à Estação Recife do metrô estava programada par começar dia 2/12, depois foi adiada para o dia 16/12, mas o GRCT encaminhou uma carta à Superintendência da CBTU no Recife solicitando o adiamento para o dia 20 de janeiro, prazo que seria necessário para promover os ajustes e liberar a integração temporal.

 

 

 

O GRCT não tem pressa, mas o metrô tem. E muita. E os números dos flagrantes presenciados durante 15 dias de levantamento justificam a urgência. Houve dias em que, em apenas uma hora, mais de 500 passageiros foram flagrados entrando sem pagar a tarifa pelo TI Recife. Em outros dias do levantamento, a quantidade chegou a quase 2 mil passageiros invadindo o sistema num intervalo inferior a oito horas. Funcionários da CBTU ouvidos pela reportagem afirmaram que a situação piorou bastante nos últimos seis meses e que tem relação direta com a mudança de gestão do TI, que teria passado do governo do Estado para o controle da Urbana-PE, o sindicato das empresas de ônibus.

O GRCT não quis dar entrevista sobre o assunto. Enviou apenas uma nota que pouco esclarece: “O Grande Recife está estudando junto com a CBTU a possibilidade de ampliar a integração temporal para outros terminais integrados. Diante disso, será elaborado um acordo de cooperação técnica que traçará de que forma se dará essa integração”.

MUDANÇAS
Na prática, as mudanças não afetarão quem sai do metrô para acessar as seis linhas que fazem integração no TI Recife. Atingirá apenas os passageiros que fazem o deslocamento oposto – do ônibus para o metrô. No lugar de simplesmente passar pelos bloqueios ao sair do TI, como acontece hoje em dia, os passageiros terão que aproximar o cartão VEM dos validadores que serão instalados para ter a passagem liberada. Não será cobrada uma segunda tarifa no período de duas horas. Sobre a possibilidade de esse prazo ser insuficiente no caso de um congestionamento, por exemplo, a CBTU explica que raramente isso acontece e que o tempo de duas horas é mais do que suficiente.

 

 

CAVALEIRO
O processo será idêntico ao adotado entre a Estação Cavaleiro do metrô e o terminal integrado de ônibus, em julho deste ano. Apesar da confusão do início da mudança, com o tempo os passageiros se acostumaram e os números confirmaram que algo estava errado de fato. Entre janeiro e junho, quando a integração temporal ainda não vigorava, a demanda de passageiros era inferior a 50 mil/mês. A partir de julho, começou a subir rapidamente, chegando a 250 mil no mês de agosto e se mantendo na casa dos 200 mil em outubro. O mesmo aconteceu com a receita do metrô, que passou de R$ 50 mil para R$ 400 mil somente na Estação Cavaleiro.


Veja também