07
maio

Conheça o movimento que propõe liberdade de trabalho

07 / maio
Publicado por Lucas Moraes às 5:00

Foto: Reprodução
O publicitário e especialista em marketing digital Fagner Borges já repassou técnicas para mais 2.500 alunos

 

A rotina é sufocante e o dinheiro recebido ao fim do mês nunca é mais do que suficiente para o pagamento das contas. Essa é a sensação de muitos brasileiros assalariados. Pensando em ajudar as pessoas a mudar essa realidade, o publicitário e especialista em marketing digital, Fagner Borges, desenvolveu o Movimento Freesider, que reúne estratégias para maior aproveitamento do tempo disponível no dia a dia e encoraja cada um a ser “dono da sua vida”, a partir do desenvolvimento de quatro habilidades no mercado de trabalho formal e digital.

LEIA TAMBÉM:

» UFPE abre processo seletivo para contratação de professores substitutos

» IFPE abre inscrições para professor substituto

» Ambev abre inscrição para vagas no centro de distribuição em Olinda

“O Movimento Freesider começou a ser pensado a partir da minha própria rotina. Eu era funcionário público, tinha uma rotina exaustiva, que me dava uma sensação de falta, mesmo com os rendimentos que recebia no fim do mês. Para me livrar disso, resolvi ingressar em projetos digitais e, mesmo com eles, percebi que o trabalho na internet demanda uma série de atribuições. Por isso, resolvi buscar formas de ser mais produtivo sem atrapalhar as outras áreas da minha vida, dividindo bem tempo, investimento e compromisso com as minhas demandas”, explica Fagner.

Com mais de 2.500 alunos iniciados no movimento, o especialista em marketing digital elegeu quatro habilidades como passos fundamentais para quem quer quebrar a rotina e, ainda assim, desenvolver projetos que garantam o retorno financeiro. “Há quatro áreas que precisamos desenvolver para ter liberdade plena no campo profissional. A primeira é a competência pessoal, que demanda de cada um o autoconhecimento. Depois, vêm a competência interpessoal, que envolve o desenvolvimento das habilidades para se relacionar com as demais pessoas; a competência financeira, desenvolvimento das capacidades para lidar com o dinheiro; e a competência produtiva, que requer a organização do tempo, fazendo com que se produza mais com menos esforço. Essas quatro competências podem ser utilizadas tanto no mercado formal, para manter o equilíbrio nas atividades trabalhistas, quanto no universo virtual, para onde direciono a maioria dos meus clientes a caminho da maior liberdade”, afirma ele.

Ainda de acordo com Fagner, a saída do chamado “mundo real”, que envolve as atividades empregatícias tradicionais é um processo que deve ser feito em fases. “Quem pensa em ingressar no mundo dos negócios virtuais deve utilizar seu emprego, caso o tenha, como trampolim. Os investimentos devem ser feitos de forma cautelosa e em áreas de atuação pelas quais você tenha empatia. O primeiro passo, tratando-se de investimento, deve ser em relação a anúncios, já que estamos falando de um campo fértil, que reúne desde a venda de roupas até a terceirização de serviços. Hoje, o Facebook ainda é a ferramenta que gera mais resultado para quem está disposto a pagar pela publicidade. As demais redes obviamente irão acrescentar, mas o Facebook dá a entrega mais segmentada, anunciando diretamente ao público que queremos vender”, reforça.


Veja também