14
maio

Saiba como se qualificar para contratação como Jovem Aprendiz

14 / maio
Publicado por Lucas Moraes às 6:00

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Conquistar a primeira oportunidade no mercado de trabalho não é das tarefas mais fáceis. Porém, através da qualificação profissional, centenas de jovens pernambucanos, entre 14 e 24 anos, têm conseguido ingressar no mercado formal como Jovem Aprendiz. A modalidade, que alia a prática profissional à capacitação, além de conferir habilidades necessárias para o exercício da atividade trabalhista, garante às empresas um funcionário mais preparado.

LEIA TAMBÉM:

» Elevadores Otis está com vagas abertas no Recife

» Empresa de tecnologia promove competição para contratar profissionais

» Extrafarma está com 28 vagas para contratação em Pernambuco

no Recife foi de 54%. “Registramos esse crescimento, mas temos acompanhado o mesmo movimento em todas as instituições. As empresas estão cada vez mais atentas ao desenvolvimento de novos líderes e talentos, características que nem sempre são fáceis de encontrar, sobretudo entre jovens”, diz a gerente regional do Espro, Marcela Toledo. Ainda de acordo com ela, cerca de 550 jovens estão na condição de aprendizes na instituição. O aproveitamento por parte das empresas, gira em torno de 80%, principalmente entre os segmentos da indústria (29%), serviços (25%), comércio (20%) e bancário (17%).

Anderson Ribeiro, 22, atualmente jovem aprendiz de um banco, já teve experiência como profissional antes de passar por um curso profissionalizante. Ainda assim, para ele, ter o acompanhamento do desempenho é um diferencial . “É muito importante(a contratação como Jovem Aprendiz) porque proporciona aprendizado sobre como se relacionar com outras pessoas, além de trabalhar justamente as especificidades da atividade profissional”, afirma.

Dentro da Espro, há duas possibilidades de ingresso. Os jovens podem inscrever o currículo através do site da instituição, de olho em alguma vaga – e ao serem contratados passam a ser acompanhados pela instituição – ou através do Centro de Referência de Assistência social (CRAS) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) do bairro onde moram, sendo encaminhados para o curso que os prepara para a primeira oportunidade de emprego. Além das aulas, os jovens recebem alimentação, fardamento e material didático de graça. “Como Jovem Aprendiz, pela primeira vez tive um feedback do meu desempenho e comecei a enxergar com outros olhos o mercado de trabalho. Entrar de cara numa empresa é bem diferente de quando você começa à trabalhar sabendo da sua demanda e pronto para abraçar as oportunidades”, reforça Felipe Alves, 20, que foi contratado pela própria Espro.

LEI DO APRENDIZ

A Lei 10.097/2000 afirma que empresas de médio e grande porte devem contratar jovens, entre 14 e 24 anos, como aprendizes. O contrato de trabalho pode durar até dois anos. Durante esse período, o jovem é capacitado na instituição formadora e na própria empresa, e salário contabilizado com base nas horas destinadas às atividades.


Veja também