25
jun

Saiba como se inscrever em curso gratuito para corretor no Recife

25 / jun
Publicado por Bruno Vinícius às 9:00

Foto: Pixabay

O crescimento do mercado de seguros de vida, impulsionado pela discussão sobre a Reforma da Previdência há dois anos, fez aumentar a procura pela carreira de corretor no País.

Oferecendo um curso que já formou mais de 4 mil profissionais em 20 anos, a Mongeral Aegon – que tem capital holandês e brasileiro em suas ações – disponibiliza uma formação de carreira em seis meses, com 25 vagas para os interessados no Recife. O curso é gratuito e a inscrição pode ser feita no site da Mongeral.

LEIA TAMBÉM:

>Clínica SiM está com vagas abertas para nova unidade no Shopping Tacaruna

>Cincoaching promove ciclo de palestras sobre empregabilidade e autoconhecimento

>Começam nesta terça as inscrições para o concurso da PF

 

De acordo com o superintendente comercial da empresa no Recife, Stivison Tavares, a Mongeral é a única a oferecer esse tipo de formação dentro da própria seguradora no País, com autorização de atuação da Escola Nacional de Seguro (Funenseg). “A gente tem um programação de formação dos treinandos em seis meses. Então no curso, ele vai aliar tanto a parte da sala de aula quanto em campo. Diferente da formação que ele teria da escola nacional, em que ele só teria as aulas. No fim das aulas, ele também tem a preparação para a Susep, que é a prova em que ele poderá exercer o ofício”, explica Tavares.

Segundo o superintendente, nos últimos anos, houve um crescimento na procura da formação, em decorrência da recessão econômica no País. No ano passado, pelo menos 90 pessoas disputaram 20 vagas do curso. “As pessoas estão vendo hoje o empreendedorismo como uma alternativa, mas não no intuito de fazer algo informal. Como oferecemos essa formação, hoje temos corretores que saem do curso com 20 ou 50 anos. Principalmente dessa última faixa, que muitas vezes vê o mercado fechando as portas”, afirma Stivison.

Para entrar no curso, que começa no segundo semestre, os candidatos devem ter pelo menos o ensino médio completo. Assim que há uma inscrição, os interessados devem passar pelas seletivas, que avaliam os possíveis “treinandos” para a formação. “Quando há a avaliação do candidato , não contamos que ele já tenha tido alguma experiência comercial. Na maioria das vezes, vemos se as pessoas têm o perfil de empreendedor”, conta o superintendente, ainda afirmando que durante a formação, os alunos contam com bolsas mensais.


Veja também