10
set

Falar inglês melhora salário em até 70%, segundo pesquisa

10 / set
Publicado por Bruno Vinícius às 12:00

Foto: Pixabay

A língua inglesa, que era uma recomendação, virou uma obrigação para alavancar a carreira em qualquer área do mercado. Segundo levantamento da Catho, plataforma online de empregos, um funcionário em cargo de gerência tem potencialidade de ganhar 70% a mais do que um empregado sem o conhecimento linguístico.

Na pesquisa, ainda foram levantados dados de outros cargos, como os de analistas, especialistas e coordenadores. No estudo, esses funcionários com conhecimento da língua inglesa tinham salários de 40%, 33% e 53% maiores do que aqueles que não sabem o idioma. Especialistas apontam que é cada vez mais comum que as vagas de emprego exijam a proficiência como um requisito para ocupar o cargo.

 

De acordo com o coordenador pedagógico da Minds, Rodrigo Berghahn, a primeira recomendação para o estudante é conseguir realizar um teste de proficiência. “O ponto é: não adianta você dizer que fala para o futuro recrutador. Um teste como este te ajuda a comprovar que você realmente compreende a língua”, enfatiza.

O coordenador e professor afirma que a próxima etapa é identificar qual o tipo de exame ele se encaixa. “O TOEFL é ótimo para quem quer estudar uma pós-graduação, como mestrado e doutorado, lá fora. No caso do mercado, acho o ideal que o estudante faça o TOIC, porque é ótimo para a comunicação no trabalho, para as habilidades dentro do trabalho e também para fins acadêmicos”, frisa Rodrigo Berghahn.

Um desses exemplos é o da engenheira química, Tayse Cruz, de 24 anos. Com o conhecimento do inglês, a engenheira conseguiu um intercâmbio no Reino Unido, apresentando os requisitos da vaga na área.

Foto: Facebook/Reprodução

Quase todas as seleções de estágio e trainee que eu participei exigiam a língua

Tayse Cruz

“Quase todas as seleções de estágio e trainee que eu participei exigiam a língua. E exigiam o avançado. Tanto que houve uma situação, no meu estágio, em que eu tive que falar a língua dentro da empresa com funcionários dos Estados Unidos. Na fábrica, quase ninguém falava e eu fui posta em prova nessa visita”, afirma.


Para a estudante de engenharia ambiental, Beatriz Santiago, 21 anos, o inglês proporcionou que ela concorresse a melhores vagas no mercado.

“Neste estágio que eu estou agora, isso foi o diferencial para eu ter passado. Embora não tenha sido um pré-requisito, acabou que foi um trunfo para eu conquistar essa vaga”, relembra a estudante.

A língua permitiu que eu concorresse às melhores vagas do mercado

Beatriz Santiago

“Além disso,eu tenho acessoa várias pesquisas da área ambiental de outros países. Então isso proporciona um melhor contato até com o curso”, salientou a estudante Beatriz Santiago.


Veja também