14
jan

Voltando a ser criança no Beach Park

14 / jan
Publicado por Leonardo Vasconcelos às 8:37

Entrada do Beach Park

Férias é tempo de colocar as crianças pra se divertirem. As de verdade e as que deixaram de ser apenas na idade, mas ainda mantém o pique na hora de brincar. Se incluindo neste segundo grupo, o #blogmochileo aproveitou a viagem de férias para Fortaleza, no Ceará, para realizar o antigo desejo (desde criança) de conhecer o Beach Park.

Ele está situado em Aquiraz, a 20 quilômetros da capital, e foi criado em 1985. Ao longo dos 33 anos de atividade, ele se consolidou como o melhor complexo aquático do Brasil e um dos principais do mundo. Inclusive, no ano passado, ele foi eleito como segundo melhor do mundo pelos usuários do Tripadvisor, só perdendo para o espanhol Siam Park, em Tenerife.

 

 

A grandiosidade do Beach Park ajuda a explicar que o título não foi à toa. São mais de 18 atrações que utilizam 7.793.000 litros de água em uma estrutura de mais de 200.000 metros quadrados. Os mais de 1.000 colaboradores ajudam a deixar o local sempre organizado e seguro. Em 2016, o parque superou a marca de 1.000.000 de visitantes. Números à parte, o que vende mesmo o parque é a emoção e fizemos questão de colocar ela à prova.

 

 

Tal qual criança, fizemos questão de ir em todas as atrações, com destaque para as mais radicais, principal motivo em ter ido para o parque. A mais desafiadora o temido Insano, um tobogã gigante de 41 metros de altura, equivalente a um prédio de 12 andares, valerá uma reportagem à parte que será publicada no próximo domingo.

 

 

Tirando a auto-explicativa insana atração, deu pra sentir uma grande adrenalina em vários outros “brinquedos”. Entre eles o Kalafrio que faz você descer em boias duplas um half de 11 metros de altura com uma inclinação de quase 90 graus. Outro que chama a atenção é o Vaikuntudo o maior toboágua da sua categoria do mundo que com suas cores vivas fazem a experiência nele ficar ainda mais emocionante.

 

 

Mas com todo respeito ao Insano, que de fato merece todo e qualquer respeito que exista, a atração mais exótica e diferente do parque que achamos foi o Arre Doidus. Realmente tem que ser muito “doidus” para entrar em uma cápsula, onde o chão de repente é aberto e você cai direto no toboágua. Ao entrar nela, o sistema de som reproduz o som que só aumenta a tensão: Tum-tum-tum. Escutando forte a batida do coração (interna e externa), quando menos se espera você é lançado, assim como uma grande descarga de adrenalina no seu corpo.

 

 

O custo para alegrar a criança que há em você, claro, não é dos menores. Achamos o preço para adultos (R$220) um pouco salgado é verdade, todavia o valor faz jus a quantidade de emoções proporcionadas em um dia em que se esquece por momentos dos problemas do mundo adulto. Com planejamento prévio e organização, vale a pena visitar o local e se dar esse presente (infantil).

 


Veja também