04
fev

Arvorismo oferece contato direto com a natureza em Bonito

04 / fev
Publicado por Leonardo Vasconcelos às 7:51

 

Altura, desafio e contato direto com a natureza. Foi reunindo estes elementos que o arvorismo conquistou tantos adeptos no mundo. E em Bonito. Para entender do que se trata basta recorrer à origem da palavra na língua inglesa (canopy) que quer dizer toldo, cobertura. A essência do esporte é justamente percorrer a “cobertura” das florestas através de platatormas suspensas nas árvores. Ele surgiu na década de 1980 na Costa Rica a partir da necessidade de biólogos se locomoverem pela copa das árvores. A vertente esportiva só foi desenvolvida no final dos anos 1990 na França e Nova Zelândia.

 

Leia mais: 

A emoção do rapel nas cachoeiras de Bonito

Encarando a Estrada da Morte

El Chepe: A mágica viagem de trem que corta o México

Um mergulho nos cânions do Velho Chico

 

 

Dada a aulinha de história, agora vamos para a prática. Para se aventurar na modalidade as dicas são o Camping do Mágico e o Bonito Ecoparque, que ficam respectivamente nos quilômetros 20 e 21 da PE-103. Ambos locais oferecem entre várias outras atividades o arvorismo como um dos carros-chefes. Os percursos são desenvolvidos de forma estratégica para poder proporcionar diferentes níveis de dificuldade e adrenalina aos praticantes.

 

 

A segurança é um item não esquecido ao longo de todo o trajeto. São equipamentos indispensáveis luvas, capacete, polias, mosquetões, cabo de segurança e cadeirinha de escalada. Todos são regularmente checados, assim como o circuito inteiro. Além disso, toda a atividade é acompanhada por monitores especializados.

 

 

A duração do percurso depende da quantidade de obstáculos e, claro, da habilidade da pessoa ou grupo, neste último caso costuma demorar um pouco mais porque cada etapa é encarada um por vez, o que naturalmente implica em espera. No caso do Bonito Ecoparque são dez obstáculos diferentes e o circuito começa com um paredão de escalada (R$ 30).

 

 

“Um dos grandes baratos do arvorismo é proporcionar esse contato direto com a natureza. Lá em cima, além de poder admirar melhor a paisagem, o praticante pode ver os animais silvestres que temos na nossa Mata Atlântica”, disse o instrutor John Lennon Quintino Silva. Um diferencial do local é uma estrutura específica para o arvorismo infantil, onde as crianças podem ter contato com a prática em um circuito de altura bem menor e com a mesma segurança.

 

 

Um quilômetro antes você encontra o Camping do Mágico, conhecido pela ótima área para quem gosta de acampar, mas que também oferece um bom serviço de arvorismo (R$ 35). O detalhe do circuito de 14 obstáculos do local é que ele acaba em uma tirolesa de 100 metros atravessando a cachoeira da área. “Muita gente que vem só acampar fica sabendo do arvorismo e não resiste. É uma atividade que todo mundo quer fazer e a tirolesa no final dá ainda mais emoção”, comentou o gerente do local Ivaldo Apolônio.

 

 

O #BlogMochileo experimentou a atividade nos dois locais e ambos foram aprovados. Ela exige autocontrole e superação de limites. Você precisa se concentrar a cada passo e manter o equilíbrio para evoluir no percurso. Assim como temos que fazer na vida.

 

 

REDES SOCIAIS:

*Acompanhe o @blogmochileo também pelo Instagram, Twitter, Facebook e Youtube.

 


Veja também