22
nov

Sair do Facebook deixa as pessoas mais felizes, diz estudo

22 / nov
Publicado por O Viral às 15:59

O estudo sugere ainda que quanto mais tempo longe das redes, mas produtivo você é. Foto: Reprodução/BBC
O estudo sugere ainda que quanto mais tempo longe das redes, mas produtivo você é. Foto: Reprodução/BBC

A Universidade de Copenhague, na Dinamarca divulgou uma pesquisa que está deixando muita gente contrariada, principalmente aqueles que são mais ‘dependentes’ das redes sociais. De acordo com o estudo, a felicidade de uma pessoa pode ser ligada justamente a sua ausência no Facebook, ou seja, quanto menos tempo navegando na rede, mas feliz você é.

“A maioria das pessoas usa o Facebook diariamente, mas poucas estão conscientes das consequências. Esse estudo fornece provas causais de que o uso do Facebook afeta negativamente o nosso bem-estar”, explicou o pesquisador Morten Tromholt, em sua tese de mestrado.

Leia também:

Casais felizes não expõem a vida nas redes sociais, diz estudo

Filtros que você usa no Instagram podem indicar problemas psicológicos, diz pesquisa

Pesquisa diz que beber cerveja diariamente reduz chances de infarto

Durante o experimento feito no fim de 2015, parte do grupo de 1.095 dinamarqueses foi indicada a não acessar o Facebook durante uma semana e, justamente essas pessoas apresentaram níveis mais altos de satisfação com a vida e de emoções positivas, comparado ao outro grupo que continuou usando a rede social.

Em uma escala de 1 a 10, o nível de satisfação com a vida dos que continuaram usando o Facebook subiu de 7,67 para 7,75, um aumento de apenas 0,08. Do outro lado, os “desconectados” apresentaram um aumento de 0,56 pontos, saindo de 7,56 para 8,12.

Tempo livre, mais diversão

Entre os que tiraram ‘férias’ da rede social, 88% relataram que estavam mais felizes e 84% falaram que curtiram a vida, contra 81% e 75% respectivamente, dos que continuaram conectados.

Já quando perguntados se estavam tristes, 34% do grupo que continuou no Facebook revelaram o sentimento e 25% admitiram se sentirem sozinhos. E no grupo que não acessou a rede social o sentimento de tristeza se mostrou presente em 22% e a solidão em 16%.

O estudo mostrou ainda que quem se ausentou da rede apresentou menos dificuldade de concentração, intensificou mais a vida social e teve a sensação de que estava desperdiçando menos tempo.


Veja também