30
jan

A história e detalhes do Edifício Solaris, personagem que fez de Lula investigado

30 / jan
Publicado por Giovanni Sandes às 7:54

 

No jornalismo, um bom personagem ajuda a contar uma história. Poder ser um político ou um cidadão pobre, uma testemunha e até um prédio. O Edifício Solaris, no Guarujá, tem tudo isso. É um ponto fora da curva, em um caso que tem como principal nome, não o único, o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em 1996, o Sindicato dos Bancários, braço do PT, teve a ideia de criar a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), para oferecer aos associados acesso barato a projetos imobiliários em boas localizações. Tanto que em 2007 comprou o terreno localizado na nobre praia do Guarujá, litoral de São Paulo, onde ficaria o Solaris.

Obra iniciada, em 2009 a Bancoop quebrou. Três mil dos cooperados perderam as economias e ficaram sem receber apartamentos. Em 2010, Vaccari foi denunciado por desvio de dinheiro da Bancoop para o PT. Mas a construtora OAS assumiu alguns poucos prédios inacabados, entre eles o Solaris, em que o ex-presidente Lula, diz, comprou “cotas” para converter ou não, no futuro, em um apartamento.

O Solaris tem umas coisas interessantes. Pelo que conta Lula, mesmo sem cliente definido para o tríplex que virou o foco do caso, a OAS resolveu gastar, mal acabou o prédio, R$ 777 mil para refazer o apartamento. É, sem explicação mesmo. Em tese, o tríplex parado e sem dono, reformado por R$ 777 mil, ficou 6 anos esperando Lula e a esposa, Marisa Letícia, desistirem. Sem multa. Sem ação judicial. E sem anúncios de venda.

Diferente de todas as outras construtoras, a OAS é tão “do bem” que finalizou o prédio sob risco de prejuízo, se os ex-clientes da Bancoop não quisessem seus imóveis. E há vários apartamentos de ninguém. O Ministério Público, aliás, aponta que um deles está em nome não da OAS ou da Bancoop, mas de uma offshore. Pense, quantos amigos ou parentes seus moram em um apartamento em nome de um tipo de empresa usado para ocultar crimes? E quantos em um prédio com apartamentos assim, “complicados”, com gente presa, donos ocultos e outros investigados?

Esse é o Edifício Solaris. Uma figuraça.

 

PRÉDIO EM DETALHES

Ainda é possível levantar uma boa quantidade de material a respeito do Solaris, a partir de sites da construtora OAS. O vídeo que ilustra este post, inclusive, é parte do material publicitário do prédio.

O edíficio tem 18 pavimentos, sendo quatro por andar e três tipos de aparamento: padrão, duplex e tríplex.

Abaixo, as plantas originais do tríplex. Vale salientar que a unidade reservada por Lula foi totalmente reformada. Em lugar da escada ligando os três pavimentos internos hoje há um elevador privativo.

 

Primeiro Pavimento do Solaris

Segundo Pavimento do Solaris

Terceiro Pavimento do Solaris

 

Segue a descrição conforme o site da construtora:

 

  • Localização privilegiada, de frente para o mar
  • Apartamentos de 3 dormitórios com suíte, duplex e triplex.
  • 3 dormitórios – 85,65m²
  • 3 dormitórios duplex – 139,28m²
  • 3 dormitórios triplex – 215,20m²
  • 2 torres
  • 2 elevadores por torre
  • 18 pavimentos
  • 4 unidades por andar
  • 2 vagas de garagem por unidade
  • Vagas cobertas
  • Áreas comuns entregues equipadas e decoradas (playground, brinquedoteca e salão de festas)

 

 

Leia mais:

 

PRESIDENTE DO PT: “ESTÃO TENTANDO ‘DERRETER O LULA'”

APÓS OPERAÇÃO TRIPLO X, CONTA DE LULA NO FACEBOOK POSTA: GOSTO DE SER PROVOCADO


Veja também