19
maio

Presidente do PSB critica delator e sai em defesa de Paulo Câmara e Fernando Bezerra: ‘Os caras dizem coisas que não batem com a realidade’

19 / maio
Publicado por Franco Benites às 18:44

Fernando Bezerra Coelho teve nome envolvido em delação. Foto: Reprodução/Internet

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, afirmou que o partido não está preocupado em relação à delação de Ricardo Saud (veja vídeo abaixo), executivo da JBS, que disse ter pago propina ao governador Paulo Câmara (PSB), ao senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e ao ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB).

“Com essa quantidade de gente que as empresas beneficiaram (nas campanhas), há muitas confusões. Os caras querem se ver livres da cadeia, de uma condenação, e dizem coisas que não batem com a realidade”, afirmou.

Confrontado com o fato de que Ricardo Saud fala em propina ao se referir aos pernambucanos, Carlos Siqueira declarou que Ricardo Saud diz em repassar os recursos “na expectativa de de que pudesse ser beneficiado, mas não foi troca de favores” e cita um trecho escrito que trata da delação (veja abaixo).

Crédito: Reprodução/Internet

Ainda segundo o dirigente, todas as doações da JBS ao PSB estão registradas.

“Verificamos aqui que neste caso das doações que elas foram realizadas sem contrapartida. No caso de Paulo Câmara, sequer houve doação. Deve haver algum engano. Não chegou esse R$ 1 milhão”, enfatizou.

Além das declarações dadas à coluna, Carlos Siqueira também publicou uma nota em nome do PSB (veja no final deste texto).

“O PROBLEMA É DELE”

Paulo Câmara está em Brasília para participar de uma reunião da Executiva nacional do PSB. Segundo Carlos Siqueira, o tema será a “crise nacional”.

O dirigente já pediu para o ministro das Minas e Energia, Fernando Filho, que é deputado federal pelo PSB deixar o cargo.

“Se ele insistir em ficar o problema é dele. Ele sairá voluntariamente ou porque o governo vai cair”, declarou, em referência à gestão Michel Temer (PMDB).

RESPOSTAS DE PAULO CÂMARA

Venho repudiar, veementemente, a exploração política do depoimento do delator Ricardo Saud, que já antecipo não corresponde à verdade. Não recebi doação da JBS de nenhuma forma. Nunca solicitei e nem recebi recursos de qualquer empresa em troca de favores. Tenho uma vida dedicada ao serviço público. Sou um homem de classe média, que vivo do meu salário.

Como comprovará quem se der ao trabalho de ler o documento que sintetiza a delação, o próprio delator afirma (no anexo 36, folhas 72 e 73) que nas doações feitas ao PSB Nacional “não houve negociação nem promessa de ato de ofício”, o que significa que jamais houve qualquer compromisso de troca de favores ou benefícios. Desta forma, é completamente descabido o uso de expressões como “propina” ou “pagamento”.

Reafirmo a Pernambuco e ao Brasil que todas as doações para a minha campanha foram feitas na forma da lei, registradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral.

Paulo Câmara
Governador de Pernambuco

RESPOSTA DE FERNANDO BEZERRA COELHO

“A defesa do senador, representada pelo advogado André Luiz Callegari, afirma que todas as doações para a campanha de Fernando Bezerra Coelho ao Senado foram devidamente declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral. A defesa do parlamentar, que não teve acessos aos referidos autos, repudia as declarações unilaterais divulgadas e ratifica que elas não correspondem à verdade”.

RESPOSTA DO PSB NACIONAL

Em face da delação do diretor de relações Institucionais do grupo J&f, Ricardo Saud, o Partido Socialista Brasileiro esclarece que todas as doações recebidas ocorreram estritamente dentro das normais legais e foram devidamente declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ressalta-se que o próprio delator informou que as doações ao PSB foram realizadas sem contrapartida, ou seja, em consonância com a legislação em vigor à época.

CARLOS SIQUEIRA
Presidente Nacional do Partido Socialista Brasileiro – PSB

RESPOSTA DO PREFEITO GERALDO JULIO

Ricardo Saud aponta que um dos intermediários das negociações era o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB). O gestor municipal também divulgou uma nota sobre o assunto.

Diante da menção ao seu nome por um dos delatores da JBS, divulgada hoje pela imprensa, o prefeito Geraldo Julio repudia veementemente as acusações e esclarece que nunca tratou de recursos ilegais com essa empresa ou com qualquer outra. O próprio documento divulgado pela justiça registra que as doações feitas à campanha nacional do PSB não foram por troca de favores. Todas as doações recebidas pelo partido foram legais.


Veja também