26
jan

Sem frear violência, SDS transfere 22 delegados para outras delegacias

26 / jan
Publicado por Raphael Guerra às 8:52

Delegados foram comunicados sobre mudanças. Cláudio Castro (foto) será titular da Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto de Veículos. Foto: JC Imagem/Arquivo
Delegados foram comunicados sobre mudanças. Cláudio Castro (foto) será titular da Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto de Veículos. Foto: JC Imagem/Arquivo

Com a insustentável crise na segurança pública e o aumento desenfreado da violência, a Secretaria de Defesa Social anunciou, em boletim de circulação interna, a remoção de 22 delegados da Polícia Civil para outras unidades. A decisão foi tomada como forma de tentar dar nosso dinamismo às investigações e tentar reduzir as estatísticas da criminalidade. No início do ano, a SDS também trocou os comandantes de 21 batalhões da Polícia Militar.

Tanto delegados da Região Metropolitana do Recife como também os do Interior do Estado foram informados sobre as remoções, que começam a valer já nesta semana. Entre os nomes que serão trocados estão o de conhecidos delegados na mídia.

Cláudio Castro, que já foi titular do Grupo de Operações Especiais (GOE) e atualmente estava no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, agora será responsável pela Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto de Veículos.

Alfredo Jorge, responsável por desvendar casos de grande repercussão como o do assassinato da turista alemã Jennifer Kloker, em 2010, e a morte do professor Betinho, em 2015, deixará a 1ª Delegacia de Homicídios (responsável pela área central do Recife). Ele agora ficará responsável pela 5ª delegacia.


publicidade

O delegado Diego Acioli será transferido para a 1ª Delegacia de Homicídios. Até então, ele era titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos.

Aumento dos homicídios

Estatísticas preliminares da Secretaria de Defesa Social (SDS) apontam que nos primeiros 18 dias deste ano já foram registrados 252 assassinatos em Pernambuco. No total, 45 a mais que no mesmo período do ano anterior.

“O Pacto pela Vida morreu”

De acordo com o pesquisador e professor de sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) José Luiz Ratton, idealizador do programa de segurança Pacto pela Vida, atualmente a taxa de homicídios é de 47 para cada 100 mil habitantes. O índice é o maior desta década.

No ano passado, segundo dados preliminares da Secretaria de Defesa Social, foram registrados mais de 4.400 assassinatos no Estado. Apesar de o número consolidado ter que ser divulgado até o 15 de janeiro, isso ainda não aconteceu.

Segundo Ratton, entre os anos de 2013 e 2016 houve um aumento de 38,7% na taxa de homicídios em Pernambuco. É o pior resultado da história do programa de segurança, criado em 2007, no início da primeira gestão do governo Eduardo Campos.

Leia Mais

Saiba quais são os municípios mais violentos de Pernambuco

Burocracia policial impede combate à violência

 


Veja também