23
nov

Após denúncia do MPPE, sindicato sai em defesa do secretário de Ressocialização

23 / nov
Publicado por Raphael Guerra às 7:05

Secretário de Ressocialização teria alterado documento para beneficiar ex-prefeito, apontou o MPPE.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp-PE) emitiu nota oficial, na noite dessa quarta-feira (22), em defesa do secretário de Ressocialização, Cícero Rodrigues. O gestor foi denunciado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) por organização criminosa. Segundo as investigações, Rodrigues teria teria participado de um esquema para alterar um documento que dava explicações à Justiça sobre a troca da tornozeleira e eletrônica usada pelo ex-prefeito do município de Catende, Otacílio Alves Cordeiro (PSB), preso em junho do ano passado por suspeita de crimes como lavagem de dinheiro e desvio de R$ 15 milhões. O processo stá sendo analisado pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Em nota, o Sindasp-PE destaca que “falar em organização criminosa por parte do Ministério Público é um equívoco, pois tal procedimento de informação em documento só poderia ser confirmado por perícia, e que posteriormente foi constatado em perícia técnica e que não cabia a competência da Seres, ou seja, o secretário. Ao nosso ver está sendo usada a politicagem para atingir o atual secretário que está indo em sentido contrário à antiga política empregada no sistema penitenciário, como denúncias feitas pela atual gestão do secretário. Ao nosso ver, salvo melhor juízo, um secretário que descobre um esquema de fraudes de remissão de pena e encaminha para apuração, bem como ajudou na prisão do preso citado e seguiu as normas legais para a substituição de tornozeleira teve uma conduta correta”.

A categoria disse ainda que reconhece que ” o atual Secretário vem, apesar de problemas no Sistema Penitenciário, procurando melhorar o sistema. Em um ano de gestão, ele reduziu a quantidade de homicídios em referência a outros gestores, bem como na gestão não ocorreram rebeliões. Existem deficiências, porém a gestão é discutida com entidades civis, Ministério Público e sindicato. Como ao nosso ver não existe motivos de troca de secretário executivo de Ressocialização”, completou.

POLÍCIA CIVIL

Diante da polêmica, a assessoria de imprensa da Polícia Civil de Pernambuco também decidiu, no final da noite dessa quarta-feira (22), emitir nota oficial sobre as investigações. “A Polícia Civil esclarece que, por meio da Delegacia de Polícia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos, concluiu as investigações, após ouvidas, análise de documentos e  perícias, e remeteu o inquérito ao Ministério Público de Pernambuco. O MPPE, então com o domínio da ação penal, fez a denúncia à Justiça, a quem caberá julgar os acusados citados no processo, que correu em segredo de Justiça em sua fase policial. A PCPE reafirma seu compromisso com a transparência, a defesa da legalidade e, acima de tudo, com o interesse público”, afirma a nota.

LEIA TAMBÉM

A cada hora, 14 roubos ou furtos são registrados em Pernambuco

Crise e mudanças no comando da Polícia Civil

MPPE arquiva inquérito que investigou secretário de Justiça, Pedro Eurico

Polícia faz ‘caça’ aos servidores fantasmas da Secretaria de Ressocialização

 

 

 


Veja também