10
jan

UM Coletivo apresenta ‘Arrodeio’, no Murillo La Greca

10 / jan
Publicado por Márcio Bastos às 15:16

um-coletivo-3
* Texto de Divulgação
Dando continuidade às pesquisas sobre som, movimento e notações, o UM Coletivo abre, próxima terça-feira (10), a instalação Arrodeio no museu Murillo La Greca, às 18h. Na ocasião, também será lançado um dossiê a respeito do processo, com textos e ensaios escritos pelos integrantes do grupo. As ações fazem parte do projeto Pesquisa sobre Som, Corpo e Notações, financiada pelo Funcultura Independente 2014-2015. Durante o evento, também haverá uma série de performances e apresentações de artistas convidados.

A pesquisa, feita para tensionar as relações entre som, corpo e movimento e desenvolver um sistema de notações para músicos e dançarinos, aconteceu ao longo deste ano por meio de encontros entre os integrantes e contou com colaboração do Pachka, duo de música focado em experimentações de diálogos artísticos. O coletivo ministrou, durante o processo, quatro oficinas gratuitas e ainda vai apresentar um espetáculo, atualmente em montagem, como contrapartida do projeto.

ARRODEIO – Para a instalação, mais que propor uma discussão didática ou pedagógica da pesquisa, o UM Coletivo pretende retomar questões que surgiram ao longo do processo. “Mais que explanar, queremos discutir algumas inquietações do processo por meio de propostas sensoriais”, comentou Daniel de Andrade Lima, diretor e integrante do grupo.

A instalação propõe retomar memórias de afeto e deslocamento do processo criativo da pesquisa. Por meio de sensações sinestésicas, o UM Coletivo retoma o diálogo entre som e corpo, música e dança. O termo “Arrodeio” é uma referência a uma onda senoidal que vai de frequências muito graves a frequências muito agudas utilizada em muitas das dinâmicas vivenciadas pelo grupo; refere-se também aos ciclos que se concluem e se abrem insistentemente.

umcoletivo

Fazem parte de Arrodeio sons, objetos e vídeos. “Quanto ao som, queremos pensá-lo como algo presencial, físico e também como possibilidade de produção de sentido, como algo a ser experienciado a partir da cultura”, comentou o diretor artístico. Também faz parte da instalação uma projeção com 14 minutos de produções imagéticas, que vão desde imagens icônicas, como pinturas da tradição artística, até desenhos animados infantis. “São vídeos que surgiram por questões afetivas ou mesmo por causar incômodo, escolhidos a partir de sensações e discussões surgidas no processo de pesquisa, pensados por trazerem questões interessantes diante dos outros estímulos presentes na obra”, apontou Daniel.

DOSSIÊ – O Dossiê, composto por textos dos integrantes do coletivo e do duo Pachka, discute a pesquisa ocorrida ao longo do ano. De caráter mais experiencial e vivencial, os textos abarcam, de diferentes formas, o processo da pesquisa – realizada por meio de encontros e discussões de teóricos do som e do corpo, como Laban, Dalcroze, Schafer e Thereza Rocha e apresenta as possibilidades de notações possíveis, pensadas pelo grupo. Também compõem o dossiê ensaios escritos por cada um dos integrantes, a respeito de pontos específicos do projeto.

Sobre o UM Coletivo
No começo de 2014, o UM Coletivo surgiu a partir de uma vontade de investigar os possíveis diálogos entre dança e música. Ainda de forma bastante intuitiva e sem muito rigor acadêmico, oito bailarinos/performers e dois músicos passaram a se encontrar semanalmente para experimentar seus corpos e instrumentos a partir da proposição de algumas dinâmicas. Dessas vivências, surgiu um produto estético num formato de intervenção a que se deu o nome de “Concerto para Corpos Variáveis”, que foi apresentado no Atelier Arte da Terra e também na UFPE, no Hall do CAC, durante a Semana da Música 2014, evento promovido pelo Departamento de Música da mesma Universidade. Após essa primeira experiência, o grupo decidiu tomar mais um passo no caminho para o amadurecimento, tanto artisticamente quanto metodologicamente, e começou a traçar o que seria a segunda etapa da pesquisa sobre som e movimento já iniciada. Em 2015, o grupo apresentou a performance Calor, no Atelier Arte da Terra. Em 2016, o UM Coletivo também apresentou o espetáculo Estou Farto de Semideuses, no Edf. Texas, e participou de diversos eventos, realizando performances, rodas de diálogo e oficinas.

SERVIÇO
Instalação Arrodeio + lançamendo do dossiê do UM Coletivo
Museu Murillo La Greca
Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, 366, Parnamirim
Abertura: 10/01, às 18h
Exposição: 11/01 a 04/02
Horário de visitação: Terça a sexta-feira, das 09 às 12h e das 14 às 17h
Sábados 14 às 18h


Veja também