19
maio

Simone Mazzer & Cotonete numa parceria irrepreensível

19 / maio
Publicado por José Teles às 19:20

Simone Mazzer & Cotonete (Prado Records) destila a exuberância de um Tim Maia nos primeiros discos. A paraense Simone Mazzer, com a banda francesa Cotonete, lembra bastante O Síndico, pela forma como solta a voz, descontraída, potente, afinada e certeira. Uma feliz e oportuna parceria, neste disco gravado em Paris e que recebeu o tratamento final no Rio (remixagem e remasterização).

Simone é uma intérprete no sentido mais estrito, ou amplo, do termo. Não interessa se a música for manjada, a exemplo, de Se Você Pensa (Roberto & Erasmo), ou uma curiosidade no repertório da divina Elizeth Cardoso, Eu Bebo Sim Luis Antônio/João do Violão), que fez sucesso com este samba em 1974.

Lançado em abril, Simone Mazzer & Cotonete causou uma breve polêmica nas redes sociais por a capa (ilustração de Thiago Sacramento) ter sido vetada pelos vigilantes censores do Facebook. Viram maldade numa nudez sem erotismo (certamente porque tem um bando de adolescentes como espectadores).

“Honni soit qui mal y pense”, “Envergonhem-se quem nisto vê malícia”. Malícia há em É Que Nesta Encarnação Eu Nasci Manga (Luhli/Lucina), em ritmo de marchinha, pelas Frenéticas em 1979, que Simone Mazzer desacelera a canção, acentuando os duplos e triplos sentidos.

O octeto francês é especialista nas sonoridades do funk dos anos 70, o que imprime um delicioso sabor vintage ao álbum, mesmo que o som da banda, em alguns momentos, seja muito clean, tudo tão certinho quanto num disco da Steely Dan. Precisava um pouco mais de “sujeira”, por exemplo, a balada soul Onda (Cassiano/Paulo Zdanowski), como acontece na citada Se Você Pensa, com os metais soando como se fossem de uma orquestra de baile de 40 anos atrás.

A Cotonete trouxe para o repertório o pop francês de Je dois m’en aller, da banda de rock francesa, dos anos 80, Niagara, que tem mais uma música no disco, L’amour a la Plage. Ainda em francês, um clássico dos anos 60 com Françoise Hardy (de Serge Gainsbourg), Comment te dire adieu. Em inglês, o disco traz Bachelorette, mezzo marcha rancho mezzo second line de New Orleans.

Um disco de escolha demasiadamente eclética, mas os grandes arranjos aliado à irrepreensível interpretação, permitem que se misturem alho com bugalhos, sem deixar indigesta esta nouvelle  cuisine à  base de ingredientes antigos.

Simone Mazzer & Cotonete em Eu Bebo Sim, ao vivo:


Veja também