20
nov

Dormir bem é parte fundamental do treinamento

20 / nov
Publicado por Luana Ponsoni às 17:19

Quem dorme mal tem a produção de hormônios importantes comprometida. Foto: Divulgação

 

Quem coloca o ganho de massa muscular como meta costuma se prender essencialmente a três condutas básicas: dieta, hidratação e treino. Só que para essas ações serem bem sucedidas, dormir bem é fundamental. É durante o sono que a musculatura se refaz das lesões provocadas pelo treinamento, entrando em um processo de renovação celular que reabilita o tecido do estresse sofrido. E é justamente nesse momento que ocorre o ganho de volume muscular.

Apesar de não ser consenso, boa parte dos especialistas defendem que é necessário dormir de sete a oito horas corridas para se ter uma boa recuperação. “Na verdade, tudo depende do ciclo circadiano (o mesmo que relógio biológico) de cada um. Há pessoas que precisam de seis horas. Outras necessitam de oito. É essa relação de mais ou menos horas dormidas que o necessário que vai impactar diretamente na reorganização de nossas funções”, explicou a fisioterapeuta do sono da Interne Soluções em Saúde, Lidiane Santana.

Independente da média de horas dormidas, o interessante é que a pessoa passe pelas cinco fases do sono. Apesar de todas serem importantes, as primordiais para o ganho de massa muscular e das demais benesses ao organismo são as de número 3 e 4. Na terceira etapa, as ondas cerebrais ficam mais alongadas e lentas, levando para a seguinte, equivalente ao sono profundo. Nessa fase, ocorre a recuperação das células e órgãos danificados ao longo do dia, assim como das fibras musculares lesionadas pelo exercício.

Pessoas que treinam bem, fazem dieta, mas não dormem direito têm grandes chances de se sabotarem ao longo desse processo. É também durante o sono que hormônios ligados ao apetite e à saciedade são liberados.

 

Quando a gente não dorme bem, temos um comprometimento importante dos nossos hormônios. Durante o sono, boa parte são fabricados, administrados ou sintetizados. Com isso (noites mal dormidas), temos a desregulação de dois hormônios importantes: a leptina e a grelina, que regulam a saciedade e o apetite (nessa ordem). Se eu não durmo bem, esses hormônios não funcionam e a minha tendência é engordar”

Lidiane Santana, fisioterapeuta do sono.

Quem se exercita regularmente, mas enfrenta problemas para dormir, pode tentar rever o horário de treinamento. Fazer exercícios à noite costuma ser a causa das insônias dos que não têm um sono muito regular. “O ideal é parar e analisar cada caso. Na população geral, o exercício costuma ser benéfico também para o sono. Se há dificuldade, é necessário atentar para o horário. O ideal é evitar o turno em que se deve estar relaxado. Para quem tem insônia, o bom é treinar durante o dia. À tarde, nos casos em que a pessoa tem o hábito de cochilar muito. Vai de cada caso”, concluiu Lidiane Santana.


Veja também