publicidade
13
set

15 de setembro, a missão da nave Cassini chega ao seu Grand Finale em Saturno

13 / set
Publicado por Leonardo Spinelli às 19:21

Por volta das 8h30 da manhã desta sexta-feira (15), no horário de Brasília, a nave Cassini, lançada pela Nasa há duas décadas, vai encerrar sua missão ao planeta Saturno, onde vai entrar e ser desintegrada na atmosfera. A data está sendo encarada pela agência espacial americana como o Grand Finale.

A Nasa define a Cassini como um explorador solitário, a cargo de uma missão pensada para revelar a grandeza de Saturno, seus anéis e suas luas. Depois de 20 anos no espaço, a sonda Cassini da Nasa está ficando sem combustível. Então, para proteger as luas de satunro que poderiam ter condições adequadas para a vida, um final espetacular foi planejado para a viajante que veio do distante planeta Terra.

Lançada em outubro de 1997, a nave espacial completou uma caminhada de bilhões de quilômetros até Saturno, onde chegou à sua órbita em 30 de junho de 2004, depois de sete anos viajando pelo sistema solar. Nessa viagem, a espaçonave levava um passageiro, a sonda europeia Huygens, o primeiro objeto feito pelo homem a pousar, em janeiro de 2005, em um planeta no distante sistema solar exterior.

Por mais de uma década, a Cassini compartilhou as maravilhas captadas na órbita de Saturno, com muitos momentos marcantes, como em 10 de setembro de 2007, quando a nave sobrevoou Jápeto, a terceira maior lua de Saturno, além de toda a família de luas geladas do planeta. Trouxe para nós mundos surpreendentes, como o registrado em julho de 2009 na gélida lua Titã, onde rios de metano correm em direção a mares de metano.

 

Imagens que mostram jatos de gelo e gás explodindo material no espaço foram registradas em 28 de outubro de 2015, na lua Encédalo. Um espetáculo oriundo de um oceano de água em estado líquido e que anima os cientistas sobre a possibilidade de existir vida naquela que é a sexta maior lua de Saturno.

A Cassini também observou o planeta em si, um mundo gigante governado por tempestades violentas que contrastam com sua delicada e harmônica gravidade. Agora, nesta sexta-feira, a Cassini terá a sua última e ousada missão, num Grand Finale que teve início em 26 de abril, quando a nave iniciou sua nova e emocionante aventura de 22 mergulhos em órbita, através do espaço entre Saturno e seus aneis.

A Nasa define a Cassini como um explorador solitário, a cargo de uma missão pensada para revelar a grandeza de Saturno, seus anéis e suas luas. Divulgação / NASA

Assim como repetidamente desbravou essa região inexplorada do sistema solar durante a sua vida, a Cassini ainda vai tentar novas descobertas, essas sobre as origens dos aneis e a natureza do interior do planeta, que está cada vez mais próximo da espaçonave. Na sua órbita final, a Cassini vai mergulhar para dentro de Satunro, numa luta para manter suas antenas apontadas para a Terra, de modo a transmitir os seus últimos dados e o seu adeus. “Nos céus de saturno o sonho termina, à medidade em que a Cassini passa a se tornar parte do próprio planeta. Em 15 de setembro, a missão termina”, diz a Nasa em vídeo emocionante de onde foi retirado esse texto.


Veja também