publicidade
28
mar

Meirelles sem medo de defender o seu legado e o de Temer na eleição

28 / mar
Publicado por Leonardo Spinelli às 19:51

Quem será o candidato do MDB? “Estamos trabalhando juntos e vamos chegar ao entendimento”, disse Meirelles sobre conversas com Temer. Beto Barata / PR / Fotos Públicas

Cotado como candidato à Presidência da República, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, defendeu nesta quarta-feira (28), no Recife, a continuidade da agenda de reformas, a exemplo Previdência, e das privatizações, como a da Eletrobras. Para ele, os temas são importantes para o País continuar no caminho do crescimento e evitar o que ele chamou de “voo do pato”. Segundo o ministro, a reforma da Previdência vai voltar à pauta do Congresso assim que terminar a intervenção na Segurança Pública do Rio de Janeiro. Meirelles confirmou que vai defender essa agenda no caso de sua candidatura se confirmar. Ele, que discute com o presidente Michel Temer quem será o candidato pelo MDB, disse que espera a definição da chapa para até o início da semana que vem. Na terça-feira (3) está prevista a sua filiação ao MDB às 11h em Brasília.

O ministro falou a empresários pernambucanos num evento realizado no Recife pelo grupo Lide. Na palestra, Meirelles destacou a melhoria dos indicadores econômicos nos seus 23 meses à frente da pasta. Segundo ele, é natural que a agenda das reformas seja um tema impopular para um candidato, mas disse acreditar que a opinião do eleitor deverá mudar. “É normal que depois de uma recessão, a população ainda esteja com uma sensação ruim, o desemprego ainda está elevado. A inflação já caiu, mas as pessoas não sentiram completamente. É questão de tempo para a melhoria ser totalmente sentida pela população. As pessoas vão ver que a empresa que estava demitindo parou de demitir e começou a contratar. Quem estava com medo passa a fica mais tranquilo”, disse a jornalistas após a palestra.

Para Meirelles, o País deverá criar 2,5 milhões de novos empregos este ano, após um 2017 em que foram efetivadas 1,5 milhão de vagas. Além disso, ele lembrou que o IPCA em 2,84% em 12 meses é o menor índice de inflação desde 1998 e que o PIB cresceu 2,1% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano anterior.

Sobre a privatização da Eletrobrss e Chesf, Meirelles comentou que o assunto é positivo para o País, mesmo sendo impopular, principalmente na região Nordeste. Ele avalia que as compensações relativas à venda das estatais elétricas vão convencer os deputados da bancada nordestina de que a privatização é uma coisa positiva. “O governo está conversando com a bancada do Nordeste, visando assegurar que os recursos necessários para a revitalização da Bacia do São Francisco seja assegurado. Esse é o caminho que vai pacificar esse assunto, a privatização é boa para todos e vai deixar a energia mais barata.”

Meirelles também afirmou que não há mal estar com o presidente Temer. “Estamos trabalhando juntos e vamos chegar ao entendimento”, disse. Os dois estiveram em Pernambuco na semana passada. O ministro afirmou que o seu grupo está avaliando pesquisas para definir qual será o melhor nome do MDB ao Planalto. Meirelles também afirmou que, em primeira análise, as pesquisas de opinião divulgadas até agora mostram resultados positivos em relação ao seu nome. “Podemos identificar na minha pessoa as características que o eleitor espera: experiência, seriedade, honestidade, história inquestionável, desempenho… Estive no Banco Central (2003-2011) e o Brasil cresceu muito e agora, na Fazenda, o Brasil voltou a crescer.”


Veja também