19
jun

Time Brasil reforçado para o Oi Rio Pro

19 / jun
Publicado por Alexandre Gondim às 20:00

Alex Ribeiro. Foto: Thiago Diz/WSL

O paulista Alex Ribeiro e a catarinense Tainá Hinckel ganharam as vagas para o Oi Rio Pro 2019 pela triagem realizada pela Federação de surfe do Rio de Janeiro nesta quarta-feira, 19/6. e vão enfrentar os líderes do ranking, John John Florence e Stephanie Gilmore, na abertura da etapa brasileira do WSL Championship Tour.

As previsões das ondas vão se confirmando e o campeonato deve começar mesmo nesta quinta-feira em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. A primeira chamada é as 7:00h na arena principal do evento na Praia de Itaúna.

Tainá Hickel : Foto: Thiago Diz/WSL

Hoje, as condições já estavam muito boas e a primeira vaga foi conquistada pela jovem Tainá Hinckel, de apenas 16 anos, que surfou as melhores ondas da única bateria feminina. Ela foi aumentando a vantagem a cada onda, ganhando da cearense Yanca Costa, da paulista Camila Cassia, de outra cearense, Larissa Santos, e da surfista local de Saquarema, Taís Almeida, que disputou o Oi Rio Pro no ano passado, ficando em último na disputa.

“Eu só tentei me divertir, consegui surfar bem e estou bem confiante, pois estou na melhor fase da minha vida”, disse Tainá Hinckel, que já venceu duas das três etapas do Circuito Sul-americano Pro Junior esse ano e já foi campeã deste circuito da categoria Sub-18 com apenas 13 anos. A catarinense da Guarda do Embaú já participou uma vez da etapa brasileira do World Surf League Championship Tour na capital carioca e é uma das atletas patrocinadas pela Oi, patrocinadora oficial da etapa.

Tainá Hickel. Foto: Damien Poullenot/WSL

A estreia de tainá será contra a heptacampeã mundial e defensora do título em Saquarema, Stephanie Gilmore, além da também experiente Coco Ho. Nesta rodada inicial, as duas primeiras colocadas nas baterias avançam direto para as oitavas de final, mas as últimas ainda têm uma outra chance de classificação nos confrontos também com três surfistas na primeira fase eliminatória das etapas do CT. Mesmo que não passe nenhuma bateria, Tainá Hinckel já garantiu um prêmio mínimo de 10.500 dólares pela participação no evento.

“Eu só quero surfar, poder representar bem o meu país e é incrível estar entre as melhores do mundo mais uma vez”, continuou Tainá Hinckel. “Minha primeira meta era vencer a triagem. Agora, a meta é dar o meu melhor para vencer a primeira bateria. Com certeza, o prêmio já é um grande incentivo, porque todo mundo precisa, inclusive eu. Mas, não estou nem pensando nisso e só em me divertir, porque isso é o mais importante. Quero vencer e quero estar entre as melhores do mundo, porque esse é o meu lugar. Eu sinto isso e é por isso que eu vim para cá”.

Alex Ribeiro . Foto: Damien Poullenot/WSL

A triagem masculina foi disputada por oito surfistas divididos em duas baterias e os locais de Saquarema, Léo Neves, João Chianca e Daniel Templar, não conseguiram passar para a bateria final. Na decisão pela última vaga no Oi Rio Pro, o guarujaense Alex Ribeiro não deu qualquer chance aos seus adversários. Ele soube escolher boas ondas e acertou todas as manobras para vencer por 16,50 pontos. O capixaba Krystian Kymerson ficou em segundo, o baiano Bino Lopes e o único carioca, Jeronimo Vargas, em quarto.

Alex Ribeiro já fez parte da elite dos top-34 da World Surf League, ocupa a quarta posição no ranking 2019 do WSL Qualifying Series e tem boas lembranças de Saquarema. Ele já conquistou título nas ondas da Praia de Itaúna, nos tempos que a “Cidade do Surf” da Região dos Lagos do Rio de Janeiro sediava uma importante etapa do QS antes da chegada do CT. Alex completou a bateria de estreia do líder do ranking, John John Florence, e do também paulista Caio Ibelli, que se enfrentaram na semifinal da etapa passada em Margaret River, Austrália.

“Com certeza, já fui feliz aqui e fiquei muito contente quando recebi o convite para ter essa oportunidade de disputar a triagem”, disse Alex Ribeiro. “Estou amarradão por estar aqui e por conseguir vencer com boas notas, mostrando uma boa performance nessa condição do mar, que está muito boa. Agora, vamos enfrentar os tops de igual pra igual. Eu gosto de desafio e vai ser bom enfrentar o John John Florence e o Caio Ibelli também, que vêm de um grande resultado na Austrália. Só quero dar meu máximo, pensando só em mim, no meu surfe, pois venho treinando muito forte e a prova está aí, estou no evento principal”.


Veja também