22
out

Circuito pernambucano na reta final

22 / out
Publicado por Alexandre Gondim às 18:06

Gabriel Farias. Foto: Damangar/FPS

Era o melhor momento do mar, no último dia de competições,20/10,  do Gaibú Final Heat , última etapa do circuito pernambucano, Gabriel Farias abriu a bateria fazendo uma onda excelente, depois em uma boa direita perfeita onde ele abriu a onda com uma manobra forte, levou o resultado para as mãos dos juízes que usando o “replay” deram a vitória a Biel que não conteve a felicidade quando ouviu o resultado na voz de Faquico Aun, locutor oficial do evento. Estavam em jogo também,  1500 pontos no ranking da Abrasp ( Associação Brasileira de Surf Profissional) e 2000 pontos no ranking nordestino da ANS ( Associação Nordestina de Suf).

 Mesmo tendo sido eliminado nas quartas de final, Thiago Silva, teve pontos suficientes para ser consagrado o campeão profissional do Circuito 2019 e garantir de sua passagem de premiação, para Fernando de Noronha na abertura do Circuito 2020.
Douglas Silva. Foto: Hermann Cokles/Divulgação

Nas semifinais da Profissional Israel Júnior, Douglas Silva, José Cláudio e Alan Donato, foram eliminados por Alan Jhones, Gabriel Farias, Júnior Lagosta e Ivan Silva que fizeram a final mais aguardada do evento. Já a melhor média da categoria foi do potiguar Alan Jhones.

O local de Saquarema e ex-top mundial Raoni Monteiro fez a segunda melhor média do evento, na final da Master. Ele correu três etapas do circuito Pernambucano e disse estar muito feliz com as vitórias por aqui e por ter conhecido praias novas.

Raoni Monteiro. Foto: Hermann Cokles/Divulgação

Outro ex-top do circuito mundial que esteve na praia do Cabo de Santo Agostinho em Pernambuco foi o potiguar Danilo Costa,”big rider” que já dropou as fortes ondas de Teahupoo no Tahiti e em Puerto Escondido no México , conseguiu ser fluído durante a maré seca sem muitos problemas e foi o campeão Sênior.

Entre as mulheres Nicole Santos, Natália Barrote, Natália Malta e Duda Autran foram vencidas por Joyce Silva, Gabriele Cavalcante, Selma Silva e Duda Falcão. Sendo Gabriele a campeã.

Dunga Neto. Foto: Hermann Cokles/Divulgação

Na Legend, em seu primeiro campeonato depois de 30 anos sem competir, Jaime Farinha foi o campeão e se declarou feliz em estar competindo novamente entre amigos.

“A nova senssação de Maracaípe ” confirmou a favoritismo e venceu a categoria Sub 18, José Cláudio chama a atenção e estará sendo observado como promessa para competir entre os “Feras” em 2020 já que fez uma excelente primeira temporada em Fernando de Noronha.

José Cláudio. Foto: Hermann Cokles/Divulgação

Nas Subs 14 e 16 venceram Yantui Duarte e Jorgan Marinho. Já nos panchões a vitória foi de Reginaldo Nascimento repetindo a dobradinha entre os Irmãos Nascimento deixando Romualdo em segundo.

O cearense Cardoso Júnior foi o campeão da categoria Gran Kahuna. Na  Kahuna  Rogério Dantas venceu liderando quase toda a bateria.

Alan Jhones. Foto: Hermann Cokles/Divulgação

Emoção sentiu Ricardo Erick ao receber o troféu da categoria Universitários Formados das mãos de Pinguim, comerciante que foi o proprietário da única lanchonete de Gaibú a 30 anos onde todos os surfistas que chegavam a praia frequentavam. Erick Agradeceu muito a Deus sua segunda vitória no circuito.

Na Formandos, Tafarel Arruda mostrou-se bem a vontade para vencer. Elogiou a performance dos seus oponentes e a iniciativa de Bruno Cepacol que trabalhou muito para que a categoria voltasse ao circuito.

Roberto Pino. Foto: Hermann Cokles/Divulgação

Roberto Pino venceu os colegas na categoria Surf Adaptado, vencendo Beto Coalhada, Vitor Lucena, Mãozinha e Silvio. É a terceira vez que a categoria Surf Adaptado está no circuito Pernambucano mostrando seu fortalecimento com o crescimento técnico dos surfistas em adaptar-se ao esporte de acordo com cada dificuldade de cada competidores.

Geraldo Cavalcanti, diretor executivo da Federação Pernambucana de Surf e produtor do evento, falou sobre o evento: “O Gaibú Final Heat encerrou a temporada 2019 do surf pernambucano em um ano onde realizou 6 etapas. Um marco no surfe brasileiro onde tem o cenário em que vários estados, já em outubro, nem sequer iniciaram seus calendários de competições, infelizmente.

A estrutura do evento na visão de Damangar/Divulgação

Na próxima postagem sobre o surfe pernambucano divulgaremos o ranking final do circuito pernambucano, acompanhem. Bom surfe e vamos limpar nossa praia !!!!!!

Agradecimentos aos amigos Claúdio Damangar, Pedro Lima e Geraldo Cavalcante da FPS e o fotógrafo Hermann Cokles pela colaboração com o BLOG DO SURFE


Veja também