27
out

Ítalo vence em Portugal e chama atenção ao desastre ambiental

27 / out
Publicado por Alexandre Gondim às 18:13

Italo Ferreira. Foto: Laurent Masurel/WSL

Ítalo Ferreira é bicampeão em Portugal e homenageia nordestinos que lutam contra o desastre ambiental.

“A minha prancha é em homenagem a galera do nordeste que está sofrendo com óleo. Coloquei aqui uma faixa preta, eles são guerreiros e estão sempre em busca de uma vida melhor. Eu sou um dos representantes deles, então estou aqui protestando contra esse desastre em nossa região”, falou o vibrante nordestino ítalo Ferreira ao receber seu troféu de bicampeão consecutivo da penúltima etapa do World Surf League Championship Tour 2019 em Peniche, Portugal, ontem 26/10, contra um apático Jordy Smith valendo a liderança do ranking que levará o potiguar a usar a lycra amarela de líder do circuito mundial em Pipeline no Havaí onde o título será decidido

Quem assistiu a final do MEO Rip Curl Pro Portugal assistiu um espetáculo nas ondas de Supertubos. Voando alto, literalmente, Ítalo recebeu a primeira nota 10 do evento em sua primeira onda. Na seguinte, conseguiu 7,83, depois trocou por outra boa onda de 8,43, para derrotar o sul-africano Jordy Smith com uma com uma combinação de 18,43 a 6,17 pontos.

Italo Ferreira . Foto: Damien Poullenot/WSL

A decisão do título mundial foi adiada para o Billabong Pipe Masters, que vai acontecer entre os dias 08 a 20 de dezembro. Ítalo Ferreira será o campeão se vencer o Billabong Pipe Masters ou se ficar em segundo também, desde que a final não seja contra o Gabriel ou o Filipe. Seu primeiro título também pode ser sacramentado nas semifinais, mas só se Medina não chegar na grande final e Filipe ou Jordy Smith não vencerem o campeonato. Se perder nas quartas de final, Medina ultrapassa o potiguar já nas semifinais, Filipe também passará Ítalo se for para  a final e Jordy só vencerá com a vitória em Pipeline. Se Ítalo ficar nas oitavas de final, Medina passa a liderar a corrida pelo tricampeonato se avançar para as quartas de final, Filipe supera o potiguar nas semifinais, Jordy se chegar na final e até Kolohe Andino fica vivo na briga com a vitória.

A disputa no topo do ranking está tão acirrada que, caso Italo Ferreira não passe da terceira fase no Billabong Pipe Masters e permaneça com os 51.070 pontos, poderá até despencar para o quinto lugar no ranking final da temporada. Isso se Medina e Filipe conseguirem avançar nessa mesma terceira fase para as oitavas de final, com Jordy também ultrapassando o potiguar se chegar nas quartas de final e Kolohe com a classificação para a grande final.

Italo Ferreira . Foto: Damien Poullenot/WSL

Caso nem um desses surfistas passem a primeira fase em Pipe, Ítalo será o campeão, vantagem de lider.

Ele pode ser o primeiro surfista da Região Nordeste do Brasil a conquistar o título mundial na World Surf League , ele falou mais especificamente sobre o bicampeonato em Portugal e a chance de conquistar seu primeiro título mundial esse ano: “Foi muito legal o evento, estou muito feliz por ser o primeiro a vencer essa etapa duas vezes e parabéns a todos que estão aqui no pódio, foi um grande evento e muito especial para mim. Estou muito feliz comigo mesmo, pelo que fiz no campeonato todo, por minha namorada estar aqui comigo, meus amigos, minha família, foi realmente incrível. Fiquei completamente em êxtase quando aterrissei daquele aéreo na minha primeira onda, pois a vitória começou ali. O Jordy Smith é um dos melhores competidores do mundo e eu precisava algo diferente para derrotá-lo. Agora estou na frente e vai ser muito divertido a decisão do título no Havaí. O jogo está aberto e vou tentar ser campeão, certamente”.

As apresentações de Ítalo no sábado foram mesmo espetaculares. As quartas de final vinham sendo adiadas desde a segunda-feira e o último dia não começou bem para o Brasil, com o japonês Kanoa Igarashi impedindo que Filipe Toledo já reassumisse a liderança do ranking com a classificação para as semifinais, derrotando-o. O duelo seguinte foi 100% brasileiro e Caio Ibelli praticamente confirmou seu nome no CT 2020 com a vitória sobre o paranaense Peterson Crisanto. Mostrando que a polêmica bateria contra o Gabriel Medina, quando ele cometeu interferência, e as pesadas críticas recebidas por ele pelas redes sociais não o haviam abalado.

Caio Ibelli . Foto: Damien Poullenot/WSL

“É realmente um grande presente”, disse Caio Ibelli. “Eu cheguei aqui em 23º no ranking, fora dos 22 que se classificam para o CT e todo mundo que está ali naquele bolo está surfando muito bem. Parece que quando você desce, fica difícil subir, mas muita coisa aconteceu aqui e me sinto abençoado por chegar nas semifinais. Eu realmente precisava desse resultado e agora posso ir para Pipeline mais tranquilo, só tentando terminar bem o meu melhor ano no CT”.

A decisão do título começou com Jordy Smith largando na frente com nota 6,17, mas Ítalo Ferreira manda um aéreo reverse muito alto numa direita da série logo em sua primeira onda, que arranca a primeira nota 10 esse ano. O potiguar voa de novo numa esquerda, completando mais um aéreo rodando perfeito que vale 7,83, deixando o sul-africano abalado com apenas duas primeiras ondas surfadas na bateria. Enquanto Jordy desesperado, falha na aterrissagem dos seus voos, Ítalo acerta outro aéreo full rotation perfeito numa direita para aumentar a combinação que colocou seu adversário com a nota 8,43.

Jordy Smith . Foto: Damien Poullenot/WSL

“Você quer ser o melhor do mundo fazendo o seu melhor e foi o que Italo conseguiu lá fora, então parabéns a ele que surfou de uma forma inacreditável nessa final”, disse Jordy Smith. “Eu precisava fazer também algumas manobras grandes, mas não consegui. Mesmo assim, estou super empolgado em poder disputar o título mundial em Pipeline. Meu treinamento será intenso para isso, trabalhando em minhas pranchas e no meu físico. Isso é tudo o que eu posso fazer, chegar no dia pronto para competir em alto nível lá no Havaí”.

O resultado deixou uma disputa do título mundial certamente emocionante para a última etapa da temporada. Principalmente entre os quatro primeiros do ranking, Ítalo, Gabriel, Filipe e Jordy, com o campeão podendo ser até definido na bateria final do Billabong Pipe Masters. Pode acontecer uma segunda decisão brasileira no maior palco do esporte, como em 2015, quando Adriano de Souza derrotou Gabriel Medina já como campeão mundial daquele ano. Agora, a briga do título poderá ser na última bateria da temporada, se ela for entre Ítalo Ferreira, Gabriel Medina ou Filipe Toledo.

Acompanhe tudo aqui no BLOG DO SURFE !!!! Enquanto isso boas ondas e AJUDEM A LIMPAR AS PRAIS NORDESTINAS DO BRASIL  !!!!

Veja a final do MEO Rip Curl Pro Portugal :


Veja também