14
out

Ster Silva encestou colesterol alto antes de virar destaque do basquete pernambucano

14 / out
Publicadoaa por Diego Toscano às 20:03

AN081015007
Ster Silva foi eleita a melhor ala da Segunda Divisão do Brasileiro de Seleções Sub-17. Foto: André Nery/JC Imagem

 

Os acasos do destino. O esporte pode surgir na vida de uma criança através de uma experiência marcante, como assistir a uma grande partida in loco, a influência dos pais, que também praticam a modalidade, ou por incentivo do colégio. A história de Ster “Jordan” Silva com o basquete, porém, é diferente. Diagnosticada com colesterol alto aos 11 anos – uma condição que atinge cerca de 20% das crianças no Brasil -, a atleta do Nosso Clube soube superar barreiras médicas, econômicas e até técnicas para se tornar um dos destaques do cenário local feminino. Hoje com 16 anos, Ster foi eleita a melhor ala da Segunda Divisão do Brasileiro de Seleções Sub-17, no último dia 4 de outubro.

 

LEIA TAMBÉM

Com cinco desistências, LBF terá apenas seis equipes

Nova safra de treinadores da base pernambucana enfileira bons resultados

Sport comemora 4ª fase da LDB e convoca torcida para etapa no Recife

 

“Em 2010, eu estudava em colégio público e uma amiga minha fazia parte do projeto do Nosso Clube. Como eu precisava me exercitar, comecei a fazer parte do grupo. Na época, apesar de só ter treino nos sábados, a gente recebia almoço e ganhava até uniforme e participava de cursos (educacionais). Fiz parte do segundo ano das bolsas (escolares, pela escola Ariano Suassuna e agora pelo Colégio 2001), e até hoje estou por aqui. O Nosso Clube é muito importante para mim e para minha família. É a minha segunda casa”, explicou Ster.

A história da recifense com o esporte, porém, não começou fácil. Mesmo com muita determinação e vontade de aprender, a ala não tinha tanta habilidade e não era escalada para nenhum jogo do Nosso Clube. Até que ela própria tomou uma decisão que mudou a sua relação com o basquete.

 

AN081015012
“Ela era aquela menina magrinha e ‘ruinzinha’ que superou todas as expectativas”, afirma Mario Ramires. Foto: André Nery/JC Imagem

 

“Quando chegou, Ster precisava melhorar muito a sua parte técnica. Eu nunca a colocava para jogar. Um dia, ela veio até mim e disse: ‘Poxa tio, será que eu sou tão ruim que você não vai me escalar para nenhum jogo?’. Respondi: ‘Você quer jogar mesmo? Então vai ter que treinar de verdade’. Hoje, vê-la receber uma premiação individual é a consolidação do trabalho”, explicou Mario Ramires, treinador do Nosso Clube.

A parceria com o Nosso Clube rendeu diversas conquistas locais, nacionais e até continentais para a ala. Além do título da Segundona do Brasileiro de Seleções Sub-17, Ster é tricampeã pernambucana, bicampeã dos Jogos Escolares de Pernambuco e ajudou o Nosso Clube, em 2013, a conquistar o segundo lugar no Encontro Sul-Americano de Clubes, em Novo Hamburgo (RS).

Além das partes educacional e esportiva, a entrada do Nosso Clube na vida de Ster foi determinante na parte social. Moradora da comunidade Beraldo, no bairro do Cordeiro, o basquete mudou a sua realidade. “Para nós que viemos de comunidade, o esporte deu uma ocupação para a minha filha, ajudou ela a não se aproximar das drogas ou ter uma gravidez indesejada. Hoje, ela tem um convívio social que só faz bem”, explicou Fabiana Alexandre, mãe da jogadora.

 


Veja também