Em Pernambuco, Justiça autoriza Pedro Côrrea a trabalhar como médico radiologista em Garanhuns

Blog de Jamildo
Cadastrado por
Blog de Jamildo
Publicado em 23/04/2014 às 17:50
Leitura:

Foto: BlogImagem Foto: BlogImagem

Quatro meses depois de ter sido preso na Ação Penal 470, popularmente conhecida como mensalão, o ex-deputado federal Pedro Corrêa, 67 anos, recebeu a autorização para trabalhar como médico radiologista. Ele vai atuar em uma clínica em Garanhuns, cidade próxima ao local onde cumpre pena no Centro de Ressocialização do Agreste, em Canhotinho. O pedido foi concedido pelo juiz titular da 1ª Vara de Execuções Penais, Luiz Rocha. A decisão foi anunciada nesta quarta-feira (23).

A autorização do juiz permite que o condenado trabalhe um expediente de segunda a sexta, das 8h às 17h30. Aos sábados, das 8h ao meio-dia. Ele vai atuar em um clínica particular, de propriedade do prefeito de Garanhuns Izaías Régis (PTB). A clínica se chama Armando Queiroz Monteiro.

Um dos pontos mais polêmicos do processo - o uso de tornozeleira pelo reeducando - foi negado pelo juiz. Apesar de os advogados do ex-deputado terem solicitado que o equipamento fosse dispensado, devido ao constrangimento em portar a peça, o juiz alegou que não há exceções para réus que cumprem pena em regime semiaberto.

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

As outras duas solicitações da defesa do ex-parlamentar - liberação para cursar uma pós-graduação em Garanhuns e permissão para visitar a família - foram parcialmente aceitas. O juiz não permitiu que ele retomasse os estudos, mas Pedro Corrêa ganhou direito a saídas temporárias, até o limite de 35 dias por ano, e por até sete dias consecutivos.

Últimas notícias