Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Paulo Câmara defende benefício fiscal para empresa que tentou comprar avião que levava Eduardo Campos

Blog de Jamildo
Blog de Jamildo
Publicado em 01/09/2014 às 17:28
Foto: BlogImagem
Foto: BlogImagem
Leitura:

Foto: BlogImagem

Ex-secretário da Fazenda, o candidato do PSB ao Governo de Pernambuco, Paulo Câmara, defendeu na tarde desta segunda-feira (1º), durante sabatina na Rádio JC News, a concessão de benefício fiscal pelo Estado para a empresa Bandeirantes Pneus, que seria uma a comprar o avião que levava o ex-governador Eduardo Campos durante a campanha presidencial e que caiu no dia 13 de agosto matando o presidenciável e outras seis pessoas. Em 2011, Eduardo renovou a concessão de benefício para a empresa.

Como secretário da Fazenda, Paulo Câmara assinou o decreto. A cobrança veio por parte do deputado federal Paulo Rubem (PDT), vice do senador Armando Monteiro Neto (PTB) na disputa para governador. O socialista defendeu o benefício ao lembrar que ele é concedido por um colegiado, de forma transparente.

"A Fiepe, que foi presidida pelo nosso adversário, faz parte deste colegiado", lembrou. Hoje, a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe) é presidida pelo deputado federal Jorge Côrte Real (PTB), que faz parte da chapa de Armando.

LEIA TAMBÉM:

>> Vice de Armando diz que Paulo Câmara precisa explicar relações com empresa envolvida na compra do avião de Eduardo

>> Não dependemos só de recursos federais, garante Paulo Câmara na JC News

>> Mesmo de forma indireta, Paulo Câmara critica farra com emendas parlamentares

A compra do avião vem sendo investigada por suspeitas de irregularidade. A informação de que os empresários João Carlos Lyra de Melo Filho e Apolo Santana Vieira teriam comprado a aeronave, segundo alega a AF Andrade, empresa de São Paulo que consta como dona do jatinho junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Nesta segunda, a Folha de S. Paulo mostrou que o nome do comprador não aparece no contrato. Existe suspeita tanto de que o pagamento teria sido feito por meio de caixa dois, quanto que a compra não teria se concretizado; sendo só uma forma de burlar o aluguel irregular da aeronave.

"O que os pernambucanos precisam saber é as causas da queda", defendeu Paulo Câmara. "Todo pernambucano quer saber o que ocorreu. A caixa preta não funciona", disse o candidato, que garantiu não estar sugerindo que teria ocorrido uma sabotagem no avião.

Paulo Câmara também confirmou que chegou a viajar no avião no retorno de uma agenda de campanha ao lado de Eduardo em Serra Talhada, no Sertão, em direção ao Recife. A viagem ocorreu em julho.

Em nota divulgada no dia 21, a Bandeirantes confirmou o interesse na compra do jatinho, mas afirmou que ela não foi efetivada porque não foi aprovada pela empresa de fabricação do avião.

Leia a nota abaixo:

"A Bandeirantes Companhia de Pneus S.A. teve interesse na aquisição da aeronave PR-AFA, de propriedade da Cessna Finance Corporation, arrendado pela A.F. Andrade. A operação não se realizou porque estava condicionada à aprovação pela Cessna do cadastro da Bandeirantes, o que não ocorreu até a data do lamentável acidente com o avião.

Bandeirantes Companhia de Pneus S.A."

LEIA TAMBÉM:

>> Em Pernambuco, empresa de importação de Pneus diz que ia comprar avião da Cessna, mas cadastro nao foi aprovado

>> Contrato do jatinho que levava Eduardo Campos não tem nome do comprador

>> Em nota, PSB diz que empresários pernambucanos emprestaram jato para Eduardo Campos fazer campanha

>> Eduardo Campos usou outro jatinho de empresário pernambucano

Últimas notícias