Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

No Recife, família e aliados de Eduardo Campos pedem voto para Aécio Neves

Blog de Jamildo
Blog de Jamildo
Publicado em 11/10/2014 às 14:16
Leitura:

Filho de Eduardo Campos lê carta escrita pela mãe. Foto: Bobby Fabisak/JCImagem Filho de Eduardo Campos lê carta escrita pela mãe. Foto: Bobby Fabisak/JCImagem

Em seu primeiro ato público no segundo turno das eleições presidenciais, o senador mineiro Aécio Neves (PSDB) recebeu neste sábado (11), em um comício realizado no Clube Internacional, no Recife, o apoio da família e de aliados políticos do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, que faleceu em um acidente aéreo em agosto, em plena candidatura presidencial. O ato ocorre três dias depois que a Executiva Nacional do PSB decidiu apoiar Aécio na segunda etapa da corrida presidencial.

Antes da fala do tucano, o filho homem mais velho do ex-governador pernambucano, João Campos, leu uma carta escrita pela viúva Renata Campos, pedindo apoio à candidatura do mineiro. Outros dois irmãos, Maria Eduarda e Pedro, compareceram ao ato.

"Aécio, acredito na sua capacidade de diálogo e de gestão", dizia o documento. "O Brasil pede mudanças. Nós continuamos com os mesmos sonhos", afirmava o texto.

Em seguida, o presidenciável afirmou, no discurso, que sempre acreditou que estaria unido com Campos na tarefa de mudar o Brasil. "Sinto na minha alma e no meu coração a força e a responsabilidade. A força dos ideias de Eduardo Campos e a responsabilidade de mudar a vida dos brasileiros", disse.

Aécio classificou Pernambuco como um "solo sagrado" e repetiu a última frase dita por Campos no Jornal Nacional e que virou lema do PSB. "Não vamos, hoje e nunca mais, desistir do Brasil", garantiu.

LEIA TAMBÉM

>> No Recife, Aécio acena para Marina com apresentação de propostas

>> Filho de Eduardo lê carta de Renata Campos em apoio a Aécio

>> Aécio diz que estaria junto de Eduardo no 2° turno

>> Maioridade penal não é citada em documento apresentado por Aécio

Sete lideranças políticas diretamente ligadas a Eduardo Campos discursaram durante o ato: o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB); o deputado federal Beto Albuquerque (PSB); o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB); os governadores de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), e do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB); e os governador e senador eleitos Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) e Fernando Bezerra Coelho (PSB).

"Eduardo dedicou sua vida ao povo brasileiro. Ele morreu em combate, lutando por seus sonhos e seus ideais", afirmou Geraldo Julio. O prefeito também lembrou a relação entre o ex- governador Miguel Arraes e o ex-presidente Tancredo Neves; avôs de Campos e Aécio.

"Quando cada pernambucano te ver subir a rampa do Palácio do Planalto, ele vai enxergar, no seu coração, a imagem de Eduardo Campos", disse Bezerra Coelho.

"A Dilma que se prepare, porque o Nordeste vai virar", garantiu Beto Albuquerque, em referência à presidente Dilma Rousseff (PT), que disputa o segundo turno contra o candidato tucano.

"Faltam 15 dias para a luta nossa. São 15 dias de mentira", declarou Jarbas Vasconcelos. "Essa senhora que se apresenta como candidata a Presidência da República está sitiada em corrupção", subiu o tom o senador, lembrando a prisão de dirigentes petistas no escândalo do Mensalão.

O ato durou cerca de uma hora. Do local, Aécio seguiu para a casa da família Campos, onde participa de um almoço promovido pela ex- primeira-dama. Renata ainda deve gravar uma mensagem que será usada no programa de TV do PSDB nos próximos dias.

Horas antes, já no Recife, Aécio lançou um documento com propostas para atender às demandas da ex-senadora Marina Silva (PSB), que assumiu a candidatura presidencial após a morte de Campos, e atrair o apoio dela no segundo turno. Marina deve anunciar o seu apoio neste domingo (12).

Últimas notícias