Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

'Japonês da Federal' visita a Câmara e é tietado por deputados

jamildo
jamildo
Publicado em 17/02/2016 às 18:41
Leitura:

Foto: Reprodução da internet Foto: Reprodução da internet

Estadão Conteúdo - Uma visita ilustre à Câmara dos Deputados causou frisson e uma certa "apreensão" nas dependências da Casa na tarde desta quarta-feira, 17. De férias e à paisana, o policial federal Newton Ishii circulou pelo plenário e foi tietado por parlamentares, assessores e seguranças.

Ishii participou mais cedo da posse da diretoria da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) e aceitou o convite do deputado Aluísio Mendes (PTN), ex-agente da PF, para visitar o Congresso. "Fiz questão de trazê-lo aqui para conhecer as dependências da Casa", resumiu Mendes.

LEIA TAMBÉM:

Bonecos do “Japonês da Federal” e de Sérgio Moro desfilam no Carnaval de Olinda

> Após assédio, “Japonês da Federal” é trocado de função

“Japonês da Federal”, que já ganhou até música, pede convocação de agentes para combater a corrupção

Famoso por escoltar os presos da Operação Lava Jato, hoje o "japonês da Federal" foi conduzido pelos parlamentares. Em uma breve visita ao plenário da Casa, Ishii teve pouco tempo para contemplar o lugar. O policial logo foi cercado para tirar fotos e ouviu elogios por sua atuação nas operações da PF. Entre os deputados que tietaram o agente estavam Tiririca (PR-SP), Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), Arnaldo Jordy (PPS-PA) e José Carlos Aleluia (DEM-BA).

O deputado Aluísio Mendes disse que Ishii é muito reservado e que se incomoda com o assédio. "Ele não conseguiu visitar direito a Câmara hoje", lamentou. Mendes desconversou sobre o possível clima de apreensão entre os deputados, já que alguns parlamentares são investigados pela Operação Lava Jato. "Hoje foi mais tietagem do que apreensão", afirmou.

Últimas notícias