Geraldo Julio entrega Hospital da Mulher à população do Recife, nesta segunda

jamildo
Cadastrado por
jamildo
Publicado em 08/05/2016 às 18:00
Todos_ foto externa vertical FOTO:
Leitura:

Depois de entregar o primeiro Compaz, em Casa Amarela, o prefeito Geraldo Julio inaugura, nesta segunda-feira (09), o Hospital da Mulher do Recife Dra. Mercês Pontes Cunha (HMR), na Zona Oeste. Instalado em uma área de 30 mil metros quadrados e com uma área total construída de 13.348,98 metros quadrados, localizado na BR-101, no bairro do Curado, o equipamento começa a atender já na manhã da terça-feira (10).

A solenidade de entrega está marcada para as 15h.

O evento de entrega contará com a participação de familiares da homenageada (Dra. Mercês). Renato Cunha, presidente do Sindaçúcar, é um dos filho da médica homenageada.

Os socialistas vão destacar no evento que se trata da maior unidade de saúde já construída pela Prefeitura do Recife em toda a sua história.

O hospital conta com 150 leitos e capacidade para realizar 67 mil procedimentos por mês, entre eles 400 partos, 250 cirurgias, além de exames, internações, consultas especializadas, entre outros atendimentos necessários para garantir a assistência integral à saúde da mulher.

Segundo a PCR, ainda haverá um centro cirúrgico moderno, maternidade de alto risco e serão realizados atendimentos ambulatoriais (urgência, consultas especializadas e apoio diagnóstico).

De acordo com a PCR, o HMR terá os serviços implantados por etapas. Nos primeiros dias, começa a realização de consultas e exames. Depois, começam os partos e cirurgias, tudo seguindo uma sequência da assistência para maior segurança das usuárias.

O investimento para a obra e aquisição de equipamentos é da ordem de R$ 118 milhões - recursos municipal, estadual, federal e de emendas parlamentares.

Com a queda de Dilma, não se vê a angustia dos aliados para cobrar a paternidade na obra, como aconteceu com a inauguração da Via Mangue, com constrangimento de ambas as partes. A inauguração foi tão ridícula, na época, que Dilma cortou a foto longe da população, para evitar o risco de vaias. De um lado estava o ministro Armando Monteiro. Do outro, o prefeito.

Últimas notícias