FHC critica possível candidatura de Lula em 2018: "Ficar além do limite no poder não é bom"

jamildo
Cadastrado por
jamildo
Publicado em 18/05/2016 às 10:25
Leitura:

FHC-no-Jô

Durante entrevista concedida ao Programa do Jô, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que o presidente em exercício Michel Temer precisa "responder aos anseios imediatos do país" e "fazer com que o Brasil tenha voz no mundo" . Sobre uma possível candidatura do também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2018, FHC ironizou e disse que "a vida não acaba quando você deixa de ser presidente da República".

LEIA MAIS:

>> ‘Se precisar, serei candidato a presidente em 2018’, diz Lula em festa do PT

>> Pesquisa indica Aécio Neves à frente de Lula em eventual disputa em 2018

>> Após encontro com Lula, Sílvio Costa diz que ex-presidente “é candidatísssimo em 2018”

"Não sei se quem ficou no poder oito anos vai querer voltar. Mas tem um aí que quer, né?", ironizou. "Tem que ter escuta, ficar além do limite no poder não é bom. A vida não acaba quando você deixa de ser presidente da República. Se você se deixa levar, corromper pelas benesses do poder, você está acabado como pessoa. Você tem que ter consciência de que os papéis são transitórios", disse Fernando Henrique.

Na entrevista, Cardoso apontou quais devem ser as metas de Michel Temer caso se mantenha na presidência. "Tem que responder aos anseios imediatos do país. Tomar medidas na economia, fazer com que o Brasil tenha voz no mundo", afirmou. "Se ele puser a economia melhor, se deixar, como tem que deixar, a Lava Jato continuar, e começar a reorganizar o governo brasileiro, terá um papel na história."

>> Para Humberto, Temer quer recriar “engavetador-geral da República”

>> Posse de ministros de Temer confirma ausência de mulheres no primeiro escalão

>> Para Silvio Costa, há em curso um plano para desconstrução de Lula como candidato em 2018

Durante a conversa com Jô Soares, afirmou que o afastamento de Dilma Rousseff não foi um “golpe”. “Inventaram que é um golpe e espalharam isso para o mundo afora. É uma narrativa, uma propaganda. Dizem ‘golpe’ para justificar”, disse Cardoso.

>> “Não fale em crise, trabalhe”, diz Michel Temer em discurso de posse

>> Michel Temer assina notificação de posse como presidente interino do Brasil

>> Raul Jungmann toma posse na Defesa e elogia comportamento das Forças Armadas no impeachment

Fernando Henrique Cardoso disse que não acredita na volta de Dilma à presidência dentro do prazo de 180 dias, período em que ficará afastada até seu impeachment ser julgado no Senado. "É difícil (que Dilma volte). É muito pouco provável que alguém que deixou a cadeira de presidente volte para ela. Aumentaria ainda mais a confusão". ressaltou

Últimas notícias