Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Jarbas sobe o tom e diz que não vai ser comandado por "um papel carbono de Eduardo Cunha"

Blog de Jamildo
Blog de Jamildo
Publicado em 18/05/2016 às 21:10
Leitura:

O deputado federal pernambucano Jarbas Vasconcelos (PMDB) criticou, nesta quarta-feira (18), o atual presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) e o líder do Governo, André Moura (PSC-SE), escolhido mais cedo. "Que essa Câmara se conduza para a desmoralização total e completa, tudo bem, é um problema da Casa e da sua maioria. Eu não vou me submeter, como parlamentar, como cidadão, que lutei a vida inteira para ter uma história limpa, a ser comandado por uma pessoa que não tem condições de comandar coisa nenhuma, que é um papel carbono de Eduardo Cunha", disse.

LEIA TAMBÉM

» Ministro confirma André Moura para liderança do governo na Câmara

» Cunha age para manter Maranhão no cargo

» Ministério Público investiga salários pagos a Maranhão

Maranhão assumiu a presidência da Casa após o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), após pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O deputado decidiu, a dois dias da votação da admissibilidade do impeachment de Dilma Rousseff (PT), cancelar a validade das sessões que aprovaram o processo na Câmara, fazendo isso após negociar com aliados da petista. Horas mais tarde, porém, voltou atrás e revogou a decisão sob pressão do grupo de Michel Temer (PMDB), atual presidente interino.

André Moura, escolhido para a liderança da bancada governista nesta quarta-feira, é aliado de Cunha. A indicação do nome de Moura foi apresentada na noite desta terça-feira em reunião com Geddel e o presidente interino Michel Temer pelo chamado ‘Centrão’ – bloco informal composto ao todo por 12 partidos, entre eles o PP, PR, e PSD e legendas nanicas que lideraram a articulação para a aprovação do processo de impeachment na Casa. O ‘Centrão’ se autodenomina representante de cerca de 300 deputados, o que significaria o maior “bloco” na Casa.

Últimas notícias