Humberto critica previsão fiscal de Temer: "trabalhadores vão pagar conta da crise"

jamildo
Cadastrado por
jamildo
Publicado em 22/05/2016 às 13:18
Leitura:

Humberto COsta

Para o senador Humberto Costa (PT-PE), ex-líder de Dilma no Senado, a decisão da equipe econômica do governo interino de Michel Temer (PMDB) de ampliar o déficit nas contas públicas de R$ 96,7 bilhões para R$ R$ 170,5 bilhões “ não parece ter como base a realidade fiscal do país”.

LEIA MAIS:

>> ‘Sem meta fiscal, quem vai pedalar sou eu’, diz Michel Temer

>> Michel Temer diz a procuradores que não barrará Lava Jato

>> Michel Temer assina notificação de posse como presidente interino

Segundo o senador, Temer “quer um cheque em branco do Congresso” para implementar uma política que “mexe com os direitos dos trabalhadores e penaliza os mais pobres”. “Essas ações não são a solução para a crise econômica. O governo provisório de Temer segue insistindo que os trabalhadores paguem toda a conta da crise, mas não vamos permitir que isso aconteça. Qualquer governo eleito teria dificuldades de implementar uma agenda de tanto arrocho, imagine um que não tem legitimidade e que é fruto de um golpe parlamentar”, disse.

>> Para Humberto, Temer quer recriar “engavetador-geral da República”

>> Juiz Sérgio Moro condena José Dirceu a 23 anos de prisão na Lava Jato

>> Posse de ministros de Temer confirma ausência de mulheres no primeiro escalão

Humberto afirmou que, na próxima segunda-feira, a bancada do partido deve se reunir para discutir a estratégia para a votação da autorização da ampliação do déficit no Congresso Nacional. O governo interino de Temer quer que a medida seja aprovada já na semana que vem. “Acredito que a previsão anterior feita pelo governo Dilma, há dois meses, já levava em consideração toda a previsão de receita e de gastos. Não vejo muito sentindo em aprovar um rombo ainda maior nas contas públicas”, disse Humberto.

>> Temer intervém e Centrão adia formação de bloco

>> Pauta do Congresso põe revisão de meta em risco

>> Miguel Rossetto reage com indignação à proposta de desvincular a Previdência ao reajuste do salário mínimo

Nessa sexta-feira (20), o senador cumpriu agenda nos municípios de Água Preta, na Zona da Mata, e São Joaquim do Monte, no Agreste do Estado. Nos dois municípios, Humberto entregou oficialmente carros para os Conselhos Tutelares. O veículo vai ajudar no deslocamento e na melhora do atendimento dos conselheiros nas cidades. “Garantir o trabalho dos conselheiros é também garantir a melhoria de vida de milhares de crianças e adolescentes. Pois são eles que acompanham, fiscalizam e atuam diariamente ao lado das famílias desses jovens”, afirmou Humberto.

>> Governo trabalha na reforma da Previdência

>> Mudanças na Previdência: Temer convoca reunião com centrais sindicais

>> Daniel Coelho defende reforma da Previdência logo após processo de impeachment

Em Água Preta, Humberto também se reuniu com o prefeito Armando Souto (PDT) e com os movimentos sociais. “Vai ser a nossa luta que vai fazer com que este governo provisório e sem um voto de Temer caia por terra. Não vamos permitir tantos retrocessos”, disse o senador.

Já em São Joaquim do Monte, ao lado do prefeito João Tenório Júnior (PSDB), Humberto participou da inauguração de uma Unidade Básica de Saúde (UBS). A UBS vai atender 2,5 mil pessoas e teve recursos da ordem de R$ 408 mil do governo da presidente Dilma Rousseff. “Ações como essa são fundamentais porque trazem os médicos para perto da população”, disse o senador.

>> Congresso ainda resiste à reforma da Previdência

>> “Governo não tem a opção de fracassar”, diz José Serra

>> Temer financiou candidaturas com doações de empresas da Lava Jato

Últimas notícias