Fernando Bezerra Coelho defende que saída definitiva de Dilma seja votada até agosto

jamildo
Cadastrado por
jamildo
Publicado em 26/05/2016 às 9:45
Leitura:

FBC fernando bezerra coelho

O senador pernambucano Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) defendeu nessa quarta-feira (25), na Comissão Especial do Impeachment (CEI) no Senado, a conclusão, até o final do mês agosto, do processo de impedimento de Dilma Rousseff à Presidência da República.

LEIA MAIS:

» Michel Temer quer votar saída definitiva de Dilma até agosto

» Partidos pedem investigação, prisão e cassação de Romero Jucá

» Conselho de Ética recebe representação do PDT contra Jucá

Durante a primeira reunião administrativa da CEI após a admissibilidade do processo e o afastamento de Rousseff, Fernando Bezerra elogiou a condução “serena e firme” dos trabalhos do colegiado pelos senadores Raimundo Lira (PMDB-PB) e Antonio Anastasia (PSDB-MG) – presidente e relator da comissão, respectivamente – e reforçou a necessidade de, nesta fase de pronúncia, se assegurar o amplo direito de defesa à então chefe do Executivo federal.

Na avaliação do socialista pernambucano, o cronograma apresentado hoje por Anastasia atende à expectativa da maioria dos parlamentares e também da sociedade. “A agenda de trabalho está muito bem apresentada e terá o acolhimento unânime desta comissão”, avaliou Bezerra Coelho.

» PT vai usar crise para tentar anular impeachment

» Sílvio Costa e Romero Jucá trocam farpas em sessão para votar a meta fiscal

» Senadores do PT pedem para Rodrigo Janot investigar interferência de Jucá na Lava Jat

“É evidente que todos nós – inclusive, a população brasileira e a imprensa que acompanha este processo – temos a expectativa de o parecer pela pronúncia ou impronúncia ser avaliado, julgado e votado até o final de agosto“, acrescentou o senador, ao observar que os prazos estimados no Plano de Trabalho estão harmonizados àqueles concedidos na ocasião do impeachment de Fernando Collor de Mello, em 1992.

Conforme o cronograma proposto pelo relator da CEI – cuja reunião para a aprovação do documento foi marcada para a quinta-feira (2) da próxima semana, em atendimento à solicitação dos senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) – as sessões de apresentação dos argumentos das testemunhas e de juntada de documentos ocorrerão entre os dias 6 e 17; e o interrogatório da denunciada, dia 20.

» Veja os diálogos de Jucá sobre a Lava Jato e acordão nacional

» Em diálogos gravados, Jucá fala em pacto para deter avanço da Lava Jato

» Polícia Federal deflagra nova fase da Lava Jato em Pernambuco e mais dois Estados

Em julho, o cronograma prevê a votação do relatório de Antonio Anastasia, na Comissão Especial do Impeachment, dia 27. No Plenário do Senado, a apreciação e votação do parecer da CEI – sob a condução do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski – está prevista para ocorrer nos dias 1º e 2 de agosto.

Segundo Anastasia, o Plano de Trabalho apresentado hoje à Comissão Especial é “flexível” e poderá ser aprimorado caso o colegiado veja a necessidade de ajustes nos cronogramas. Pelo Partido Socialista Brasileiro, fazem parte da CEI, como integrantes titulares, os senadores Fernando Bezerra Coelho e Romário (RJ).

Últimas notícias