Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Japonês da Federal é preso em Curitiba

jamildo
jamildo
Publicado em 08/06/2016 às 10:26
japones FOTO:
Leitura:

Famoso por aparecer em fotos ao lado de presos da Operação Lava Jato, o agente da Polícia Federal Newton Ishii, conhecido como Japonês da Federal,  foi preso nessa terça-feira (7), em Curitiba. Segundo o Paraná Portal, o mandado de prisão foi expedido pela Vara de Execução Penal Justiça Federal de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. A Polícia Federal não informou o motivo da prisão.

LEIA MAIS:

>> STJ mantém condenação do “Japonês da Federal”

>> “Japonês da Federal” vira personagem de conto erótico

>> PT ataca ‘Japonês da Federal’ e diz que agente já foi expulso da PF acusado de corrupção

Operação Sucuri 

Ishii foi preso, em março de 2003, nos primeiros meses de governo Lula, na Operação Sucuri, junto com outros 22 agentes da Polícia Federal, sete técnicos da Receita Federal e três policiais rodoviários federais, todos de Foz do Iguaçu, na Fronteira do Paraná com o Paraguai. Também foram atingidos contrabandistas e intermediários.

>> Após assédio, “Japonês da Federal” é trocado de função

>> ‘Japonês da Federal’ visita a Câmara e é tietado por deputados

>> Bonecos do “Japonês da Federal” e de Sérgio Moro desfilam no Carnaval de Olinda

Segundo a denúncia, os servidores públicos “se omitiam de forma consciente e voluntária, de fiscalizar os veículos cujas placas lhes eram previamente informadas, ou realizavam fiscalização ficta, abordando os veículos para simular uma fiscalização sem a apreensão de qualquer mercadoria“.

>> Fábrica de máscaras aposta na imagem do japonês da Federal

>> “Japonês da Federal” e Sérgio Moro vão virar bonecos gigantes de Olinda

Preso em 2003, condenado em primeira instância em 2009, Ishii manteve-se no cargo enquanto seu recurso não era julgado. O agente chegou a ser afastado dos serviços pela própria Polícia Federal, sem prejuízo em seus vencimentos, mas o Tribunal de Contas da União determinou seu retorno ao trabalho.

Últimas notícias