Temer nomeia indicados do Centrão e do PMDB para cargos no governo federal

jamildo
Cadastrado por
jamildo
Publicado em 27/07/2016 às 8:01
O presidente em exercício, Michel Temer. Foto: (José Cruz/Agência Brasil)
O presidente em exercício, Michel Temer. Foto: (José Cruz/Agência Brasil)
Leitura:

Foto: José Cruz / Agência Brasil

O presidente em exercício, Michel Temer, nomeou nessa terça-feira, 26, indicados pelo PMDB e pelo Centrão - bloco informal de 13 partidos da Câmara liderados por PP, PSD e PTB - para cargos no segundo e terceiro escalões do governo federal.

As nomeações foram liberadas para acalmar parlamentares derrotados pela antiga oposição (PSDB, DEM, PSB e PPS) na eleição para a presidência da Casa.

LEIA MAIS:

>> Temer antecipa parcela do 13º para aposentados

>> Centrais elaboram documento contra alterações nas leis trabalhistas no governo Temer

Temer nomeou Joaquim Mendanha de Ataídes para o cargo de superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep), cujo orçamento previsto para este ano é de R$ 165,6 milhões. Ele foi indicado pela bancada do Solidariedade, que faz parte do Centrão.

O novo dirigente era presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros de Goiás (Sincor-GO), mesmo Estado do líder do PTB na Câmara, deputado Jovair Arantes, um das principais lideranças do Centrão.

>> ABEP defende Datafolha em polêmica envolvendo avaliação do governo Temer

>> Governo Temer não descarta aumento de impostos e acredita em reforma da Previdência

Temer também nomeou nesta terça dois diretores apadrinhados pela bancada do PMDB para Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) Cleide Edvirges Santos foi indicada pelo deputado Mauro Lopes (PMDB-MG).

Ela é servidora de carreira do órgão e ligada ao vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade (PMDB). Já Marcus Luis Hartmann foi nomeado por indicação do deputado Peninha Mendonça (PMDB-SC).

>> Michel Temer prioriza aliados com repasses de R$ 2 bilhões em 51 dias

>> Em Pernambuco, Humberto Costa diz que Temer vai “governar para a classe mais rica”

A Conab é comandada por indicados de Jovair há quatro anos. A presidência da companhia só saiu da tutela do deputado em setembro do ano passado, quando o então presidente do órgão, Lineu Olímpio de Sousa, deixou o cargo, logo após o líder do PTB apresentar relatório favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.

>> Maioria dos brasileiros quer nova eleição presidencial, mostra pesquisa Ipsos

Nas próximas semanas, porém, a expectativa é de que um novo presidente ligado a Arantes seja nomeado. "As nomeações estavam demorando, mas agora está saindo", disse ele à reportagem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Últimas notícias