Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Eletrobras: Deputados pressionam Maia sobre projeto de referendo

Douglas Fernandes
Douglas Fernandes
Publicado em 15/03/2018 às 12:20
Foto: J. Batista/Câmara dos Deputados
Foto: J. Batista/Câmara dos Deputados
Leitura:

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu nessa quarta-feira (14) deputados que presidem frentes parlamentares contra a privatização da Eletrobras e suas subsidiárias. Eles entregaram a Rodrigo Maia um pedido de urgência para inclusão do projeto de referendo sobre a venda da estatal na pauta do plenário da Casa.

No encontro, Maia teria se comprometido a analisar o requerimento do Projeto de Decreto Legislativo nº 948\01 apesar de ter receio em votar questões desse cunho em ano eleitoral. 

“O pedido de urgência entregue a Maia conta com 327 assinaturas válidas, mais do que o necessário para que a pauta seja incluída para apreciação dos deputados”, afirma o deputado Danilo Cabral (PSB), que preside a "Frente Parlamentar em Defesa da Chesf". Segundo o parlamentar, pelo Regimento Interno da Câmara, eram necessárias 257 assinaturas, no mínimo.

Além do pernambucano, participaram da reunião os deputados Leonardo Quintão (MDB-MG), Henrique Fontana (PT-RS), Pedro Uczai (PT-SC), Moisés Diniz (PCdoB-AC),  Zé Carlos (PT-MA) e Erika Kokay (PT-DF). Também estiveram presentes representantes de entidades ligadas aos trabalhadores da Eletrobras. 

As Frentes lutam para que seja ampliado o debate sobre as privatizações do setor elétrico. “Com o Referendo, queremos garantir que os atos legislativos relacionados aos processos de venda da Eletrobras e de suas subsidiárias e controladas, passem obrigatoriamente pela ratificação ou rejeição da população dos Estados atendidos pelas atividades de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica exercidas pelas referidas empresas”, afirma Danilo Cabral.

Últimas notícias