Meirelles tem 1% nas pesquisas e isso é ridículo, diz Renan Calheiros

Douglas Fernandes
Cadastrado por
Douglas Fernandes
Publicado em 16/07/2018 às 10:58
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Leitura:

Em entrevista à Rádio Jornal nesta segunda-feira (16), o senador Renan Calheiros (MDB-AL) voltou a disparar contra o ex-ministro Henrique Meirelles, chamando de "ridícula" a pré-candidatura do companheiro de partido à Presidência da República por aparecer com apenas 1% nas pesquisas de intenção de votos. O senador alagoano demonstrou confiança de que consegue os votos necessários para barrar a candidatura de Meirelles na convenção nacional da sigla no dia 2 de agosto.

"Ele tem apenas 1% nas pesquisas. Isso é de um ridículo e ter comandado a economia contra os pobres, contra o Nordeste, flexibilizou direitos trabalhistas no momento de uma profunda recessão. Eu apoio Lula como todos sabem, mas muitos no partido em outros Estados também não apoiam (a candidatura de Meirelles). Isso mostra a pluralidade do MDB, a diversidade do partido", disse o parlamentar.

LEIA TAMBÉM

» Perillo sugere Meirelles como vice de Alckmin; ex-ministro rejeita

» Sem defesa de Temer, candidatura de Meirelles seria ‘farsa’, diz Moreira

» Em busca do eleitorado feminino, Meirelles sobe tom contra Bolsonaro e Ciro

» ‘Única dúvida que temos é o tamanho da vitória’, diz Meirelles sobre convenção

Renan Calheiros lembrou a posição do partido nas eleições de 2006, quando o ex-presidente Lula tentava a reeleição e a sigla optou pela neutralidade na disputa pelo Planalto e liberou os Estados para costurar seus palaques. Para o emedebista, "foi o momento em que o partido mais cresceu nos últimos anos". Ele quer repetir a decisão no pleito de outubro após composições com o PT nas eleições de 2010 e 2014, com o presidente Michel Temer como vice da ex-presidente Dilma Rousseff.

"Eu acho que essa convergência de não homologar a candidatura do Meirelles vai seguir em frente se Deus quiser. No dia 2 de agosto, quando acontecer a convenção nacional do partido, nós vamos ganhar para que o partido siga suas conveniências regionais já que a candidatura do Meirelles rebaixaria o MDB, dificultaria o nosso desempenho em todos os Estados", afirmou Calheiros, que acrescentou que vai conversar com o deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB-PE) e o vice-governador de Pernambuco, Raul Henry (MDB), sobre o movimento para derrubar a candidatura de Meirelles. Jarbas já declarou que apoia o ex-governador Geraldo Alckmin, pré-candidato ao Planalto pelo PSDB. 

"Tenho conversado com muita gente, ainda não conversei com Jarbas, com Raul Henry, mas vou conversar com os dois", disse o senador.

Últimas notícias