Marília Arraes confirma candidatura a deputada federal, após ser barrada pela cúpula do PT

jamildo
Cadastrado por
jamildo
Publicado em 05/08/2018 às 19:50
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Leitura:

Os aliados da vereadora do Recife pelo PT Marília Arraes já afirmavam, neste sábado, que o seu único caminho era a Câmara dos Deputados.

“Ela foi aconselhada a encampar a campanha de Lula e não deixar essa bandeira na mão de Paulo Câmara”, informou um interlocutor do PT nacional.

Neste domingo, após a definição das chapas estaduais, em Pernambuco, a vereadora petista informou que vai disputar um mandato de deputada federal.

Com a decisão, a prima de Eduardo Campos vai medir forças com o filho de Eduardo Campos, João Campos, que disputa um mandato federal para manter o espólio do ex-governador do PSB.

LEIA TAMBÉM

» Encontro nacional do PT mantém Marília Arraes fora da disputa

» Humberto admite racha no PT, mas minimiza: ‘feridas vão cicatrizando’

» Julio Lossio volta a criticar Lula e defende Marília Arraes. Cartas marcadas não valem para Pernambuco?

» Em convenção da oposição, Mendonça defende Marília Arraes

Nesta semana que passou, depois de um acordo entre o PSB nacional e o PC do B e o PT, o nome da vereadora foi sacado da disputa. Ela chegou a recorrer ao diretório nacional, mas a instância negou o pedido. Marília Arraes poderia judicializar a disputa, mas capitulou.

“O lançamento do nome da companheira Marília Arraes para a disputa à Câmara Federal é feito coletivamente. Por vários companheiras e companheiros que também estarão nesta batalha eleitoral. Somos dirigentes partidários, militantes e também candidatas e candidatos nesta eleição”, informam os partidários, neste começo de noite de domingo.

» Marília Arraes é aclamada na convenção nacional do PT

» Por aclamação e sem vice, PT oficializa candidatura de Lula

» Marília Arraes nega desistir de candidatura; Teresa diz que vai recorrer

» Diretório Nacional do PT barra candidatura de Marília Arraes por 59 a 28 votos

No sábado, Marília Arraes já havia recebido apoio público na convenção nacional do PT, em São Paulo, para oficializar o nome de Lula à presidência da República. Além de gritos da militância, ao lado do ator Sérgio Mamberti, que já havia viajado ao Estado para declarar apoio a Marília Arraes, Eduardo Suplicy, que vai tentar o Senado em São Paulo, também citou o nome dela do palco, sendo aplaudido.

Após o discurso do governador do Piauí, Wellington Dias, foram anunciados os candidatos aos governos estaduais pelo partido, sem citar Marília Arraes, após a retirada da postulação dela para apoiar a reeleição de Paulo Câmara, pelo acordo com o PSB. Depois disso, militantes gritaram primeiro “Pernambuco” e depois “Marília”.

» Ciro diz que PT e PSB degolam candidatura de Marília por ‘acordão’

» Após vitória de Marília, Humberto diz que tendência é de manter aliança com PSB

Em Pernambuco, nas últimas eleições, o PT não logrou eleger nenhum nome para a bancada federal.

Antagonista da vereadora na disputa pelos rumos do partido, o senador Humberto Costa aproveitou a convenção do PSB para lançar pontes com Marília.

"Ela fez um trabalho maravilhoso, é hoje uma liderança emergente e extremamente respeitada", disse. "Certamente terá uma grande vocação", afirmou mais cedo.

"Temos o maior respeito, o maior apreço. O trabalho que ela fez animando nossa militância foi sensacional e queremos que ela continue fazendo esse trabalho", disse o senador.

» Visivelmente desconfortável, Humberto dá as mãos a Marília

» Após acordo entre PT e PSB, Marília Arraes diz que não sobe no palanque de Paulo Câmara

» Executiva do PT confirma apoio a Paulo Câmara e retirada de Marília Arraes

» Marília Arraes rifada da disputa em Pernambuco. Executiva Nacional do PT aceita aliança com PSB de Paulo Câmara

Depois da guerra entre aliados pela Prefeitura do Recife, em 2012, o partido perdeu o rumo e o PSB aproveitou a crise para ganhar a prefeitura, com a eleição do prefeito Geraldo Júlio, nome indicado por Eduardo Campos.

Entre os defensores da postulação, aparece o nome do presidente da CUT em Pernambuco, Carlos Veras, candidato a Deputado Federal

Leia a nota oficial

A determinação do Diretório Nacional do PT que retirou a indicação de Marília Arraes como candidata a governadora, feita em nosso encontro estadual, e encaminhou a coligação com o PSB em nosso Estado atropelou o desejo de nossas bases de ter uma candidatura própria, que representasse legitimamente a defesa do presidente Lula, o projeto de resgate do Estado Democrático de Direito e a retomada dos direitos usurpados pelos golpistas.

O PT é um partido de massas e de luta. Nós somos o PT. Por isso, de forma coletiva e consciente, decidimos seguir juntos nesta próxima batalha.

O melhor caminho a ser trilhado é nos mantermos unidas e unidos em torno do nosso projeto.

O lançamento do nome da companheira MARÍLIA ARRAES para a disputa à Câmara Federal é feito coletivamente. Por vários companheiras e companheiros que também estarão nesta batalha eleitoral. Somos dirigentes partidários, militantes e também candidatas e candidatos nesta eleição.

Essa eleição é de um projeto político construido com a militância. Juntos, lutaremos com todas as armas na defesa de Lula, no combate ao golpe e na construção dos sonhos, dos desejos que construimos ao longo desta caminhada.

Essa decisão é pautada no respeito às manifestações que viemos recebendo dos quatro cantos de Pernambuco e de outros estados, de companheiros e companheiras que não querem se furtar a eleger um projeto que represente, de fato, os interesses do povo pernambucano.

Marília é hoje, sem sombra de dúvida, uma das principais lideranças políticas de esquerda de nosso Estado. É mais. É a responsável por trazer de volta para o debate político, milhares de homens e mulheres que haviam se afastado deste universo. Marília representa a coragem e a luta de todos nós.

Em nome das demais candidaturas que se animaram neste período, em nome das lutas dos movimentos sociais que nos associamos, em nome da militância de base que quer continuar resistindo, em nome da estrela vermelha que brilha no peito dos petistas, Marília Arraes seguirá candidata a deputada federal pelo Partido dos Trabalhadores, liderando a defesa de Lula, a luta dos trabalhadores e trabalhadoras e desse campo político que reúne os nossos melhores sonhos de mudar o rumo de Pernambuco e trazer de volta o Brasil mais Feliz.

#TôComMarília

Glaucus Lima - Executiva Estadual PT/PE

Edmilson Menezes - Executiva Estadual

Mucio Magalhães - Executiva Estadual PT/PE

Sheila Oliveira - Executiva Estadual PT/PE

Ivete Caetano - Executiva Estadual PT/PE

Verones Carvalhos - Executiva Estadual PT/PE

Luciano Duque - Prefeito do Serra Talhada

Teresa Leitão - Deputada Estadual e candidata a reeleição

Fernando Ferro - Candidato a Deputado Federal

Carlos Veras -Candidato a Deputado Federal

Liana Cirne - Candidata a Deputada Federal

Flavia Hellen - Candidata a Deputada Federal

Daniel Finizola - Candidato a Deputado Federal

Joao Alfredo - Candidato a Deputado Federal

Emidio Vasconcelos - Candidato a Deputado Federal

Ernesto Maia - Candidato a Deputado Federal

Cristina Costa - Candidata a Deputada Estadual

Sylvia Siqueira Campos - Candidata a deputada estadual

Sinesio Rodrigues - Candidato a deputado estadual

Felipe Rodrigues - Candidato a deputado estadual

Maricleiton Silva - Candidato a deputado estadual

Ricardo Andrade - Candidato a deputado estadual

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Sem guerra judicial

Neste domingo, o PT de Pernambuco sobiu finalmente no palanque do governador Paulo Câmara, do PSB, não sem algum barulho colateral no Recife.

Neste sábado, em Brasília, o destino de Marília Arraes foi definido, a partir de um detalhe burocrático, no mesmo dia em que a vereadora do Recife foi ovacionada na convenção do PT nacional.

Depois de ter um recurso negado pelo diretório nacional, foi feito um segundo recurso e Marilia teria direito de vê-lo julgado ainda neste sábado, mas ele acabou não sendo analisado. Assim, vai prevalecer a decisão da Executiva. A burocracia do partido adiou o julgamento do recursos estatutário sem data, de modo que a fiocu para depois da convenção, gerando um fato consumado.

Caberia uma ação judicial para determinar a análise do recurso e pedir para concorrer sub-judice. Marília Arraes, entretanto, não pretende judicializar e será candidata a deputada federal.

Na avaliação de aliados de Marília Arraes, ela pode ter mais votos do que mesmo o filho de Eduardo, João Campos, que também será candidato a deputado federal. “Há dois anos ela está em campanha e é um fenômeno. Além disto, virou vítima. O povo gosta de vítima”, conta um aliado.

O candidato da Rede, Julio Lossio, criticou Lula pela decisão de rifar Marília.

A oposição a Paulo Câmara também.

Secretária de comunicação do PT critica ‘vexame’ com Marília Arraes

Últimas notícias