Candidata do PSTU defende armar população contra a polícia

Douglas Fernandes
Douglas Fernandes
Publicado em 07/08/2018 às 13:22
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Leitura:

Em sabatina realizada pela Rádio Jornal nesta terça-feira (7), a pré-candidata ao governo de Pernambuco Simone Fontana (PSTU) defendeu o armamento da população com a criação de comitês populares de "autodefesa" como uma forma de lutar contra o crime organizado e contra ações da polícia que, segundo ela, "chega barbarizando". "O Estado está armado, a burguesia está armada e a população está desarmada", disse Simone.

Questionada se a proposta não se assemelhava às milicias, a pré-candidata negou a comparação e disse que "defende que a população tenha direito à autodefesa". "Quem está armado são os ricos e poderosos, a população está de peito aberto para levar bala de todo mundo", completou. Segundo Simone Fontana, líderes comunitários liderariam esses comitês para defender a população nas comunidades atingidas pelo tráfico de drogas.

LEIA TAMBÉM

» ‘Paulo não deu conta do recado. Precisamos mandá-lo para casa’, provoca Mendonça

» Marília Arraes e João Campos são herdeiros em lados opostos

» Rádio Jornal inicia sabatinas ao governo de Pernambuco

» ‘Marília adotou uma posição de humildade’, diz Humberto Costa

"Hoje a população entra no barro sem energia de peito aberto para o tráfico de drogas, a polícia está voltada para defender a propriedade privada, não a população. A quantidade de bala perdida que atinge inocentes é alarmante", afirmou.

Apesar de defender uma proposta contra o desarmamento identificada com a direita, Simone rechaçou a comparação com o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), pré-candidato à Presidência. "Bolsonaro é um fascista, é um politico que não tem chance nenhuma de ir para a frente, não temos nada a ver com ele. É um absurdo comparar a nossa candidatura que defende o socialismo. Bolsonaro defende mais riqueza, ele defende a ditadura", criticou.

Últimas notícias