Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Lula, Cunha e Palocci podem se beneficiar de suspeita sobre Moro, diz Ciro

Blog de Jamildo
Blog de Jamildo
Publicado em 10/06/2019 às 16:34
Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
Leitura:

O vice-presidente nacional do PDT, Ciro Gomes, usou o Twitter nesta segunda-feira (10) para criticar a força-tarefa da Operação Lava Jato, após o vazamento de conversas de procuradores e do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que, quando era juiz, analisou os processos e julgou, por exemplo, o ex-presidente Lula (PT). O pedetista defendeu que o assunto seja investigado.

"Antes que as paixões contra ou a favor do ex-presidente Lula - o mais notável atingido pela Lava Jato - venham aqui defender cegamente seus interesses, lembrem-se de Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima, Palocci... todos esses poderão se beneficiar com o que está acontecendo", enfatizou Ciro Gomes na rede social.

LEIA TAMBÉM

» Flávio Dino defende afastamento de Moro do Ministério da Justiça

» Mourão diz não ver ‘nada de mais’ em conversas entre Moro e procuradores

» ‘Não vejo nada de mais’, diz jurista sobre conversas vazadas de Moro

» Moro era ‘acusador disfarçado’, diz advogado de investigados na Lava Jato

» Oposição vai tentar convocar Moro após conversas vazadas

» Ciro bate boca com Maria do Rosário: ‘Eu não falei mal do Lula, p****’

O político lembrou ainda que já havia feito críticas à condução da Lava Jato. "O excesso de aplausos, as gravatinhas borboletas e, até, condenações sem provas objetivas, cobrariam seu preço", acusou. "Alertei mais de uma vez: os erros, os desmandos, gerariam de um lado injustiças e, de outro, nulidades que garantiriam liberdade a culpados".

Ciro Gomes afirmou, por último, que espera que as mensagens sejam investigadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pelo Congresso Nacional.

Ciro Gomes tem buscado se distanciar do PT desde as últimas eleições. Apesar disso, critica a prisão de Lula pela Lava Jato.

Mensagens de Moro

O site The Intercept publicou nesse domingo (9) mensagens atribuídas a Moro e a Dallagnol em que, no aplicativo Telegram, eles conversam sobre as ações da Lava Jato. Em uma das conversas, o ex-juiz teria feito sugestões sobre operações. "Olá Diante dos últimos . desdobramentos talvez fosse o caso de inverter a ordem da duas planejadas", diz o então magistrado em uma delas, segundo o site.

De acordo com a publicação do The Intercept, Moro teria ainda repassado informações a Dallagnol informalmente. "Entao. Seguinte. Fonte me informou que a pessoa do contato estaria incomodado por ter sidoa ela solicitada a lavratura de minutas de escrituras para transferências de propriedade de um dos filhos do ex Presidente. Aparentemente a pessoa estaria disposta a prestar a informação. Estou entao repassando. A fonte é seria", teria dito.

Entre outra passagem, o ex-juiz teria indicado qual deveria ser sua decisão sobre o processo do ex-presidente Lula (PT).

Resposta

Moro afirmou em nota que não há direcionamento na atuação dele, segundo o conteúdo das mensagens. Segundo Moro, as conversas foram retiradas de contexto e apresentadas de forma sensacionalista.

"Sobre supostas mensagens que me envolveriam publicadas pelo site Intercept neste domingo, 9 de junho, lamenta-se a falta de indicação de fonte de pessoa responsável pela invasão criminosa de celulares de procuradores. Assim como a postura do site que não entrou em contato antes da publicação, contrariando regra básica do jornalismo. Quanto ao conteúdo das mensagens que me citam, não se vislumbra qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado, apesar de terem sido retiradas de contexto e do sensacionalismo das matérias, que ignoram o gigantesco esquema de corrupção revelado pela Operação Lava Jato", disse em nota o ministro.

O Ministério Público Federal (MPF) disse, em nota, que a violação dos celulares dos procuradores é ilegal.

"A violação criminosa das comunicações de autoridades constituídas é uma grave e ilícita afronta ao Estado e se coaduna com o objetivo de obstar a continuidade da Operação, expondo a vida dos seus membros e famílias a riscos pessoais. Ninguém deve ter sua intimidade - seja física, seja moral - devassada ou divulgada contra a sua vontade. Além disso, na medida em que expõe rotinas e detalhes da vida pessoal, a ação ilegal cria enormes riscos à intimidade e à segurança dos integrantes da força-tarefa, de seus familiares e amigos".

Últimas notícias