Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Camaragibe: Defesa de Meira vai entrar com habeas corpus no STJ

Douglas Fernandes
Douglas Fernandes
Publicado em 21/06/2019 às 10:47
Foto: Polícia Civil/Divulgação
Foto: Polícia Civil/Divulgação
Leitura:

A defesa do prefeito afastado de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), anunciou que vai entrar com um habeas corpus para libertar o petebista no Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Meira está preso no Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR), desde da deflagração da segunda fase da Operação Harpalo nessa quinta-feira (20). A decisão foi do desembargador Mauro Alencar Barros, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), que também determinou o afastamento do gestor da prefeitura por 180 dias. A vice-prefeita Nadegi Queiroz (DC) tomou posse como prefeita em exercício no mesmo dia.

Integrantes da equipe de defesa de Demóstenes Meira, os advogados Ademar Rigueira e André Caúla rebateram a decisão do desembargador e lembraram que na primeira fase da operação, a justiça havia negado o pedido de prisão de Meira e o afastamento da prefeitura. Realizada no dia 26 de março, a Harpalo 1 apreendeu um carro de luxo do gestor, avaliado em R$ 100 mil.

"A decisão de afastamento do cargo e a prisão preventiva do prefeito de Camaragibe não cumpriram os requisitos legais, posto que nenhum motivo novo foi apresentado pela Polícia Civil ao Tribunal, senão aqueles que já haviam sido indeferidos pelo desembargador relator em março deste ano", diz a nota da defesa de Meira.

O gestor é apontado pela Polícia Civil como o líder da organização criminosa que é investigada por suspeitas de fraudes na licitação para a reforma do prédio da prefeitura, além dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro. Segundo a delegada Polyanne Farias, gerente de controle operacional da Diretoria Integrada Especializada (Diresp), os crimes continuaram a ser cometidos mesmo após a primeira fase da operação.

Últimas notícias