Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Marília Arraes insinua que Tabata Amaral 'se apropria' de projeto sobre distribuição gratuita de absorventes

José Matheus Santos
José Matheus Santos
Publicado em 05/03/2020 às 8:52
Fotos: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem e Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Fotos: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem e Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Leitura:

Atualizada às 11:22h

A deputada federal Marília Arraes (PT-PE) acusa a colega parlamentar Tabata Amaral (PDT-SP) de tentar se apropriar de um projeto de lei de distribuição de absorventes apresentado pela petista em setembro de 2019, na Câmara dos Deputados.

No ano passado, Marília Arraes apresentou uma proposta que prevê a distribuição gratuita dos produtos para alunas de escolas públicas de ensinos fundamental e médio. Na última segunda-feira (2), a deputada Tabata Amaral (PDT-SP) apresentou um projeto de lei que contemplaria mulheres em geral por meio de distribuição em espaços públicos.

"Notas publicadas em jornais mostram a tentativa da deputada Tabata Amaral (SP) de se apropriar de um projeto de lei apresentado, ainda no ano passado", diz Marília Arraes, por meio de nota enviada pela assessoria de comunicação.

LEIA TAMBÉM:

» ‘Meu crush é feminista’, diz Tabata Amaral sobre João Campos em campanha contra assédio

» ‘Não sei se João Campos representa a direita ou a esquerda’, diz Marília Arraes

» Lula diz que PT deve lançar Marília Arraes para a Prefeitura do Recife

» PT confirma que decisão sobre candidatura de Marília sai até o fim de março. Doriel e Teresa pregam união

Pelo projeto de Marília, apresentado no ano passado, seria instituído o Programa de Fornecimento de Absorventes Higiênicos (PFAH), com adesão dos estados para a "distribuição gratuita de absorventes higiênicos por meio de cotas mensais a cada estudante do sexo feminino".

As justificativas de Marília Arraes para o projeto são de que "é preciso combater a falta de acesso ou a falta de recursos para aquisição de produtos de higiene" e de que, com a instituição do programa de distribuição, seria "reduzido o número faltas em dias letivos de educandas em período menstrual" e isso evitaria prejuízos à aprendizagem escolar.

O projeto de Marília já está em tramitação no Congresso Nacional.

A reportagem procurou a deputada Tabata Amaral, mas ela não quis se pronunciar sobre o assunto.

VEJA MAIS:

» PT já contrariou Lula ‘várias vezes’, diz Humberto sobre candidatura de Marília

» João Campos prega aliança, mas diz que não será novidade candidatura própria do PT

» Marília Arraes critica Geraldo Julio e PSB por responsabilizar Bolsonaro por problemas no Recife

Projeto de Tabata Amaral

A proposta da deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) trata de distribuição de absorventes em espaços públicos, sem especificar quais seriam os locais contemplados.

Na justificativa, a deputada paulista sustenta que, muitas vezes, por motivo de economia, as mulheres acabam recorrendo a materiais inadequados como jornal, papel higiênico, miolo de pão ou tecidos ou realizam trocas infrequentes do material, o que pode gerar riscos à saúde, como infecções.

Os deputados e namorados Tabata Amaral e João Campos, pré-candidato a prefeito do Recife. Foto Dayvison Nunes / JC Imagem

A deputada Tabata Amaral afirma ainda que alguns países buscam enfrentar a questão por meio da oferta em escolas e outros reduziram os impostos sobre os absorventes. A ideia do projeto dá preferência à escolha de produtos sustentáveis com vistas à diminuição do impacto ambiental, diferentes dos absorventes tradicionais.

 

Últimas notícias