'Se houve fraude nas eleições, foi por parte de Sergio Moro', diz Humberto

José Matheus Santos
José Matheus Santos
Publicado em 11/03/2020 às 10:17
Humberto Costa (Foto: Filipe Jordão/JC Imagem)
Humberto Costa (Foto: Filipe Jordão/JC Imagem)
Leitura:

O senador Humberto Costa (PT-PE) criticou a fala do presidente Jair Bolsonaro de que teria havido fraude nas eleições de 2018. O parlamentar afirmou, nesta terça-feira (10), que, se a disputa nas urnas foi fraudada, teria sido por parte do então juiz Sergio Moro.

Humberto disse que Moro tirou Lula da disputa no 1º turno "quando ele liderava todas as pesquisas de intenção de voto, favorecendo a vitória de quem hoje ele (Sergio Moro) serve".

“Enquanto o Brasil vive o caos, com uma sequência negativa histórica de vários indicadores econômicos, o presidente aposta no enfrentamento. Ao invés de procurar unir a nação e buscar soluções, ele ataca o Congresso Nacional e o Judiciário e, junto com as suas falanges, volta a propagar mentiras e absurdos. É um nível de populismo da época da campanha”, criticou Humberto.

O senador disse que "a incompetência de Bolsonaro", aliada à turbulência internacional, resultaram no tombo da Bolsa de Valores, no maior valor nominal do dólar da história e na perda de R$ 90 bilhões da Petrobras em um só dia.

“Enquanto o mundo desabava, o presidente estava pintando quadros nos EUA para Romero Britto. Bolsonaro passou 28 anos na Câmara dos Deputados sem fazer nada pelo país. E, como presidente, ele está há um ano e meio acabando com o país. Que o seu governo acabe antes que ele acabe com Brasil”, declarou.

O parlamentar também disparou críticas a Paulo Guedes, que, segundo ele, está sem projeto de como enfrentar a crise.

“Ele cortou direitos aprovando reformas canhestras e o país não obteve resultado algum. A economia cresce como se fosse voo de galinha, enquanto a desigualdade e miséria aumentam drasticamente. Há filas no INSS. Há filas no Bolsa Família, com mais de um milhão de excluídos, principalmente no Nordeste. Um verdadeiro caos”, afirmou Humberto.

Últimas notícias