Empresa acusada de irregularidades com cestas básicas se defende e diz que tinha autorização legal para vender alimentos

jamildo
Cadastrado por
jamildo
Publicado em 04/06/2020 às 18:20
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Leitura:

Os advogados da empresa acusada de supostas irregularidades com cestas básicas para a pasta de Desenvolvimento Social divulgaram nota rebatendo a iniciativa dos órgão de controle e persecução. Veja os termos abaixo.

Operação da Polícia Civil mira contrato de R$ 12 milhões do Governo de Pernambuco para distribuição de cestas básicas

Secretaria Social diz que licitações estão dentro da legalidade e se colocou à disposição das investigações

A empresa Juntimed LTDA, alvo da operação Inópia deflagrada na manhã da última quarta-feira em conjunto pelas Polícias Civil de PE e Federal, esclarece se tratar de empresa idônea, constituída há quase 10 anos, e que tem como atividade principal o comércio varejista de produtos farmacêuticos, porém, possui autorização legal para outras atividades secundarias, entre elas a de alimentos em geral – motivo qual participou da licitação objeto da referida operação, de maneira legal, obedecendo os critérios técnicos; ressaltando ainda que já cumpriu com a entrega de mais de 60% das cestas básicas, todas mediante recibos, e o Governo do Estado até então apenas realizou o pagamento da quantia equivalente a 20% do contrato.

Por fim, esclarece ainda, quanto a diferença de valores da unidade da cesta básica comprada pelo Município de Olinda e a do Governo do Estado, foi devido a quantidade de itens constantes em cada cesta, bem como ao custo da logística e distribuição em vários municípios do estado de PE – e a respeito dos funcionários, todos são temporários e recebem semanalmente, assim como os veículos são terceirizados.

À disposição para maiores esclarecimentos,

Gabriela d ?Almeida Lins e Leonardo Pereira. d ?Almeida Lins & Pereira Advogados

Últimas notícias