André Longo discute com prefeitos prioridades para vacinação, nesta segunda

jamildo
jamildo
Publicado em 18/01/2021 às 14:00
Secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo. Foto:  Heudes Regis/SEI
Secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo. Foto: Heudes Regis/SEI
Leitura:

O secretário estadual de Saúde, André Longo, na tarde desta segunda-feira, buscará uma pactuação com os municípios para escolha dos grupos prioritários, que receberão as primeiras doses da coronavac.

“Essas vacinas vão atender, no primeiro momento, parte dos trabalhadores de saúde, algo em torno de 30%. Serão priorizados os que estão na linha de frente, atendendo à Covid-19. Além disso, estão incluídos idosos com mais de 60 anos em Instituições de Longa Permanência, como os asilos, além de deficientes internados em instituições e indígenas aldeados”, explicou Longo.

O Plano Nacional de Imunização (PNI) estabeleceu que o grupo prioritário 1 englobaria idosos com mais de 75 anos, indígenas aldeados, idosos com mais de 60 anos que moram em asilos e profissionais de saúde.

Em Pernambuco, isso corresponde a 630 mil pessoas. Para garantir as duas doses a todos eles, seriam necessárias 1.260.000 vacinas.

Como o Ministério da Saúde está enviando 270 mil doses para Pernambuco neste lote, não será possível atender o primeiro grupo prioritário por completo.

Por isso, a nova recomendação do Ministério é que essas primeiras doses sejam destinadas a profissionais da saúde que atuem na ponta, idosos que vivem em asilos, pessoas com deficiência que vivam em instituições de longa permanência e indígenas aldeados.

Serão utilizados na logística de distribuição seis caminhões, sendo quatro refrigerados, adequados para longas distâncias.

Os veículos não refrigerados não ensejam qualquer risco às vacinas, pois elas estão armazenadas em caixas térmicas a uma temperatura entre 4 a 8º, garantindo uma durabilidade de no mínimo 48 horas.

“Há um planejamento cuidadoso por parte de todos os órgãos envolvidos na operação. Isso visa garantir a segurança no transporte e armazenamento das vacinas, para que elas cheguem à população nas condições ideais, conforme o calendário de aplicação nos grupos prioritários. A Polícia Militar, dentro do seu escopo, tem toda a estrutura para fazer não só a segurança da logística desse transporte, mas também de onde vão ficar armazenadas as vacinas e os locais de vacinação. Teremos, assim, um apoio ostensivo das polícias nesse trabalho de presença nos locais", disse o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

Desde a última quarta-feira (13.01), as operativas da SDS já estão atuando na escolta dos carregamentos de seringas e agulhas, material que será utilizado nos postos de saúde para vacinar a população de Pernambuco. Essa operação serviu de teste para a logística das doses, de modo que a entrega ocorra de forma rápida e eficiente.

Últimas notícias