Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Ministro defende Bolsonaro sobre gastos. 'É um homem só apanhando 24 horas por dia'

jamildo
jamildo
Publicado em 28/01/2021 às 14:57
Leitura:

No UOL - O ministro da CGU (Controladoria-Geral da União), Wagner Rosário, saiu hoje em defesa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre os gastos do Executivo com leite condensado. A notícia repercutiu nos últimos dias e irritou Bolsonaro, que fez ofensas ontem à imprensa durante almoço com ministros e apoiadores em uma churrascaria de Brasília.

ABI repudia declarações de Bolsonaro para imprensa

Rosário minimizou os valores apontados por uma reportagem do portal Metrópoles e que foram revisados pelo UOL hoje, mostrando que gastos do governo federal com alimentação caíram cerca de 25% em 2020 na comparação com 2019, incluindo nesse cálculo os valores gastos com leite condensado.

O ministro também tentou justificar a reação exaltada de Bolsonaro ontem, repleta de xingamentos à mídia brasileira.

"O presidente é um homem só apanhando de um milhão de pessoas. Uma hora extravasa. Tem que ser cordial das duas partes, ele não recebe essa contrapartida. É um ataque muito grande 24 horas por dia. Ninguém recebe o nível de pressão que ele recebe. Uma hora extravasa", afirmou Rosário em entrevista ao programa "Opinião no Ar", da RedeTV.

O ministro da CGU acusou a reportagem que trouxe primeiramente os números de tentar vincular um gasto de R$ 15,6 milhões com leite condensado em 2020 ao consumo do próprio presidente.

"Acho que a reportagem, quando você lê, e está bem claro em comentários na minha vista tendenciosos, está bastante claro. [Ela] vincula o leite condensado ao que ele comeu, e isso é muito ruim", disse Rosário.

A matéria, entretanto, afirma logo no início que os gastos são referentes aos "órgãos sob comando" de Bolsonaro, que incluem todos os ministérios, por exemplo.

"Quando um único recebe tudo isso e extravasa, é normal, parte normal que qualquer um poderia chegar", acrescentou o ministro da CGU sobre a reação do presidente.

Últimas notícias