Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

MPCO pede investigação de Gleide Ângelo e Nadegi Queiroz por suposto 'nepotismo cruzado'. Deputada e Prefeitura de Camaragibe negam

José Matheus Santos
José Matheus Santos
Publicado em 14/04/2021 às 12:32
Foto: colagem de imagens de Roberto Soares/Alepe e Jailton Júnior/TV Jornal
Foto: colagem de imagens de Roberto Soares/Alepe e Jailton Júnior/TV Jornal
Leitura:

O Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO) pediu ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) a abertura de uma investigação da deputada estadual Gleide Ângelo (PSB) e da prefeita de Camaragibe Nadegi Queiroz (Republicanos) pela suposta prática de "nepotismo cruzado".

O MP de Contas recebeu uma denúncia via e-mail sobre o caso.

LEIA TAMBÉM:

> Gleide Ângelo se aposenta do Estado. Se acumular salário de deputada, terá salário de R$ 61 mil/mês

> Aposentadoria para Gleide Angelo como delegada foi ‘especial’ e lei exigiu apenas 15 anos como policial

Segundo o MPCO, a prefeita de Camaragibe nomeou José Edson Correia de Araújo, marido da deputada estadual Gleide Ângelo, para o cargo de secretário adjunto de Segurança Pública de Camaragibe. Em paralelo, houve a nomeação, no gabinete parlamentar de Gleide Ângelo, da esposa do secretário municipal de Segurança Pública de Camaragibe, Marcílio Rossini.

"A Prefeita de Camaragibe, Sra. Nadegi Queiroz, nomeou como Secretário Adjunto de Segurança Pública do Município o esposo da Deputada Estadual Gleide Ângelo. Esta, por sua vez, havia nomeado para lhe assessorar no gabinete parlamentar a esposa do Secretário de Segurança Pública de Camaragibe, sendo certo que o cônjuge da parlamentar passou a ter relação de subordinação direta e imediata com o titular da pasta – este cônjuge da assessora de sua esposa Deputada Estadual", disse a procuradora geral Germana Laureano, no texto da representação.

LEIA TAMBÉM:

> Camaragibe inicia obra para implantar iluminação definitiva no Parque de Aldeia

> Prefeitura de Camaragibe e Polícia Militar reativam Batalhão em Aldeia

O pedido final do MPCO, protocolado em 8 de abril, foi para a formalização de um processo de auditoria especial, para investigar os fatos.

Segundo o site oficial da Controladoria Geral da União (CGU), nepotismo cruzado "é aquele em que o agente público nomeia pessoa ligada a outro agente público, enquanto a segunda autoridade nomeia uma pessoa ligada por vínculos de parentescos ao primeiro agente, como troca de favores, também entendido como designações recíprocas".

Outro lado

Gleide Ângelo

Em nota, a assessoria de imprensa da deputada estadual Gleide Ângelo disse que "o caso concreto envolve nomeação de pessoas que NÃO guardam nenhum parentesco com a Prefeita Municipal de Camaragibe, nem qualquer vínculo de subordinação entre elas, além de integrarem quadros de pessoas jurídicas distintas".

"Ademais, a nomeação no gabinete da parlamentar da cônjuge do hoje Secretário de Segurança Pública de Camaragibe ocorreu em fevereiro de 2019, momento anterior a qualquer possibilidade de a então vice-prefeita de Camaragibe, Nadegi Queiroz, assumir interinamente o cargo executivo. Destaca-se ainda que, na época, a então vice havia rompido com prefeito eleito Demóstenes Meira. Isto posto, a nomeação do cônjuge da parlamentar se deu mais de um ano após a composição do gabinete legislativo", afirmou a nota.

O comunicado da assessoria de Gleide Ângelo também afirma que a deputada "não vai se opor a qualquer procedimento e apresentará documentação solicitada nos prazos legais, respeitando o trabalho do órgão". "Também se colocando à disposição para quaisquer outros esclarecimentos ou dúvidas a respeito da nomeação ou contratação de qualquer integrante de sua equipe".

Prefeitura de Camaragibe

A Prefeitura de Camaragibe disse que "o intervalo de tempo entre as nomeações já demonstra que não há interligação, qualquer que seja, entre elas - uma foi feita em janeiro de 2019; a outra, só em junho de 2020, quase um ano e meio depois".

"Quando a senhora Ana Rossini foi nomeada por Gleide na Alepe, Nadegi Queiroz nem era prefeita ainda; ocupava o cargo de vice-prefeita. Em segundo plano, não há parentesco ou qualquer relação pessoal entre a prefeita e Ana Rossini, não havendo, portanto, interferência na sua contratação", afirma a Prefeitura.

"A gestão salienta, por fim, que respeita a decisão do Ministério Público de Contas (MPCO). Porém, a prefeitura, quando for notificada, irá apresentar a defesa, tendo em vista que não há elementos que fundamentem o nepotismo cruzado", acrescenta.

Edson Araújo

Edson Araújo disse que se sente "contemplado com a nota da Prefeitura e a Nota da Assessoria da Deputada".

Servidores do Judiciário vão protestar nesta quarta-feira no TJPE e querem auxílio para suprir custos com trabalho remoto na pandemia


Comissão da OAB diz que Bolsonaro cometeu crime contra a humanidade na pandemia

Dom Odilo Scherer: ‘Enxergo o risco de uma virada política para uma ditadura’

A guerra das CPIs e o governo Bolsonaro

Senador diz já ter assinaturas para incluir estados e municípios em CPI da pandemia

‘Bolsonaro seria herói se centralizasse ações para combater a pandemia’, diz Michel Temer

67,5% dos brasileiros considera insuficiente a gestão do Governo Federal no combate à pandemia

Rodrigo Maia: ‘Bolsonaro pode ficar inelegível’, afirma

Flávio Bolsonaro vai representar contra Kajuru no Conselho de Ética por divulgar áudio com presidente sobre CPI da Pandemia

Religiosos fazem Marcha da Família Cristã por liberdade após decisão do STF

STF dá aval a Barroso e confirma por maioria instalação de CPI da Pandemia

Grupo nacional carioca abre escola no Recife, em novembro

Últimas notícias